quinta-feira, 14 de agosto de 2014

A HORA DOS OPORTUNISTAS - EM VÍDEO - DATAFOLHA JÁ FAZ ATÉ PESQUISA EM CIMA DA MORTE DE EDUARDO CAMPOS

QUAL A CREDIBILIDADE NESSE MOMENTO DAS RESPOSTAS APRESENTADAS ?


Para além dos muitos que sinceramente sentem a morte de Eduardo Campos e dos outros seis tripulantes da aeronave que caiu ontem em SANTOS / SP, há uma gama enorme de oportunistas de todo o tipo.

Há quem vá para a tela de TV aparecer como salvador de vítimas e, em rede nacional para um Jornal apresentado durante à tarde, diga que ficou chocado quando viu o corpo queimado do candidato em que iria votar nas próximas eleições. O repórter corta, mas, a cena deprimente já foi levada ao AR. A MENTIRA DO CIDADÃO não dura muito tempo, os corpos estão irreconhecíveis e em posição até de difícil acesso naquele momento. Enquanto isso, uma legião de IMBECIS, passa sorridente por trás dos entrevistados, fazendo sinais e gestos. 



AQUI O VÍDEO DA FALSA TESTEMUNHA

MEUS DEUS! Sete pessoas morreram, famílias inteiras estão de luto, não houve tempo nem de minimizar o impacto da notícia, as providências de resgate no local e identificação dos corpos ainda estão em andamento, e por aí está uma legião de insanos e oportunistas, tentando tirar suas casquinhas.

Nas REDES SOCIAIS então, esses DOENTES DA ALMA são incontáveis. Em ocasiões assim eles extravasam toda as suas TARAS e PSICOPATIAS. Divulgam imagens associadas a textos debochados, ridículos, deprimentes. 

Também estão aí os "analistas" querendo prever o futuro das eleições. Já escrevi aqui, "A CADA DIA SUA AGONIA". Ontem, um minuto antes da notícia da morte de EDUARDO CAMPOS, quem poderia prever o fato em si, e portanto as suas consequências ? Que o cenário eleitoral muda, todos sabemos, mas, parece prudente e civilizado esperar umas poucas horas para entrar nesse tipo de debate.

O INSTITUTO DATAFOLHA, porém, não pensa dessa forma, e já coloca hoje seus pesquisadores nas ruas, com um formulário de pesquisa apresentado ontem ao TSE, onde a morte de EDUARDO CAMPOS já é destacada, e os entrevistados são instados a se manifestar sobre sucessores eventuais e/ou decisão de não indicar ninguém para substituí-lo.

Imagina você hoje, na rua, sendo abordado por um pesquisador do DATAFOLHA, e ele lhe dizendo:

O candidato EDUARDO CAMPOS morreu ontem em acidente de avião, quem você acha que o PSB deveria colocar no lugar dele para concorrer ? EU RESPONDERIA, a SUA MÃE, ou A MÃE do IDIOTA / insensível, que lhe mandou me fazer essa pergunta.

Há um SHOW de desumanidade na INTERNET. Estamos assistindo a um ESTÁGIO DEPLORÁVEL DA INDIGÊNCIA MORAL E ESPIRITUAL nas chamadas REDES SOCIAIS. Lamentável constatar que ele ele extrapola para a vida REAL, e dele participam notórios "especialistas", jornalistas e gente que tem responsabilidade social e de comunicação. 

CONFIRA AQUI O FORMULÁRIO DATAFOLHA - Comprove que nele está grafado que: 'O candidato Eduardo Campos morreu ontem   "

9 comentários:

H.P. disse...

É isso que fazem, os imbecís de toda ordem, ao defenderem o tal "CONTROLE REMOTO PARA A MIDIA". Criam, esses defensores "remoticos" imbecís, UM VERDADEIRO ASPIRADOR DE CÉREBROS DESSES COXINHAS ESTÚPIDOS.
Fazem com que alimentem, esses COXINHAS DESPOLITIZADOS E ENERGÚMENOS, com toda a carniça que as Globo da vida podre e vazia, joga a eles.
É uma desumanidade, formando lixos humanos, em nome de SEUS TEMORES, SUBSERVIÊNCIAS e TENTATIVAS INÚTEIS DE UTILIZAREM OS HOLOFOTES DA DIREITA MIDIÁTICA PARA SÍ.
A Alemanha NAZISTA, COM SUA MÍDIA DIREITISTA, formaram UMA QUASE TOTALIDADE DE CIDADÃOS ASSASSINOS. Despossuidos de qualquer humanidade, de qualquer decência, de um mínimo de justiça para com Judeus de todas as idades, para com deficientes físicos, para com ciganos e tantos outros. Talvez também foi usado o "PRINCÍPIO DO CONTROLE REMOTO".
PARA QUEM TEM O DEVER DE LUTAR CONTRA A BRUTALIDADE ASSASSINA E NÃO O FAZ, É TÃO OU MAIS BRUTAL QUE OS ASSASSINOS A SEREM CONTIDOS.

Anônimo disse...

Prezado Blogueiro

Parabéns pela opinião corajosa e consciente.

AUDYR

José Antônio disse...

Caro Bond,

Foi o que eu disse ontem.

Sequer esperaram o defunto ser enterrado para assediar a "rica" viúva.

Tem gente quase que dando ordens sobre o que Marina deve ou não fazer.

Colunistas, como o Merval, chegam a insinuar que Marina deve ser a vice de Aécio.

É muita falta de noção.

De minha parte, ainda estou chocado pela notícia de ontem

Estou lendo muita coisa e evitando me pronunciar.

Mas, agora que todo o mundo se achou no direito de dar seus palpites, procurarei dar o meu, sem no entanto deixar de manter o devido respeito que os familiares das vítimas merecem.

Não o farei imediatamente, pois preciso ainda de um pouco de tempo para por em ordem em minha cabeça todas as possíveis implicações que a morte de Eduardo Campos poderá ter no cenário político nacional.

Em breve farei a análise da conjuntura atual e seus possíveis desdobramentos.

José Antônio disse...

Caro Bond,

Vou tentar fazer aqui uma análise do incerto quadro político decorrente dos últimos eventos que provocaram a morte de um dos principais candidatos à Presidência nas eleições de outubro.

Duas considerações, que considero importantes, deverão fazer parte desta minha análise.

A primeira é a de contê-la dentro do respeito que a morte de uma pessoa deve ser mantido, principalmente aos seus familiares, amigos e correligionários, independentemente de coloração político-partidária.

Assim, evitarei qualquer tipo de análise que implique que o candidato "A" irá se favorecer com a morte de Eduardo Campos. Considero a morte de Eduardo Campos uma tragédia para a política brasileira, que falar em "benefícios" para "A" ou para "B", me parece indecente.

A segunda é a de transparência. Neste sentido acho importante esclarecer, antes de tudo, que sou um eleitor de Dilma Rousseff nas eleições de outubro. Essa condição, necessária pela manutenção da transparência de minha análise, pode servir para que cada um faça os devidos descontos sobre aquilo que irei afirmar aqui. Por outro lado, é justamente por essa transparência que pretendo fazer uma análise, o mais possível isente, evitando que minhas preferências sirvam como suporte à torcida pela vitória da minha candidata.

Em assim sendo, vou começar pelo principal, que é o cenário que envolve o PSB, partido do qual o candidato Eduardo Campos era presidente.

É sabido de muitos que acompanharam as movimentações políticas dos últimos meses que o discurso de Eduardo Campos e de Marina Silva, enaltecendo a unidade de princípios entre os dois, era mais uma tentativa de convencimento a terceiros e, talvez, também, de auto-convencimento aos dois líderes para justificar sua união do que algo que tivesse base em uma realidade indiscutível.

O casamento entre os dois, apesar das juras de amor que ambos proferiam sobre a supremacia do "programatismo" em relação ao pragmatismo, era sabidamente um casamento de conveniência.

Marina Silva não havia conseguido fundar seu partido político a temo. O REDE. Para permanecer à tona necessitava de um porto. Eduardo Campos se propôs a emprestar-lhe esse porto à condição que Marina Silva transferisse à candidatura deste, seu potencial eleitoral alcançado em 2010.

Este foi um casamento no qual ambas as famílias não estavam de acordo. Entretanto, precisavam manter as aparências, mesmo que cada uma das duas famílias desconfiasse bastante da lealdade do outro cônjuge.

Portanto, ambos os cônjuges necessitavam afinar seus discursos de forma a diminuir a resistência de seus respectivos familiares à sua união.

Daí o aparecimento de um novo vocabulário, com palavras do tipo: "programático", que nada mais eram do que biombo para esconder a falta total de projetos comuns.

A morte inesperada e em condições trágicas de um deles, certamente avivará as diferenças entre as duas famílias.

A família do morto, certamente vai se sentir a mais prejudicada se a sobrevivente não tiver a sensibilidade para compreender que ela não pode assumir a herança da totalidade do capital político familiar.

Considerando, o temperamento, já conhecido, de Marina Silva, é difícil esperar que essa sensibilidade se manifeste agora de maneira a espantar as possíveis resistências no partido ao qual ela foi abrigada com uma certa relutância.

Certamente, isso será uma grande dificuldade para que o PSB eleve a candidatura de Marina Silva à cabeça da chapa, passando o partido a assumir um papel secundário.

(continua...)

José Antônio disse...

(continuação...)

Bem... essas são as dificuldades para que Marina venha a ser escolhida como candidata do PSB.

Mas, por outro lado, existem também as dificuldades em não fazê-lo.

Tanto para o PSB quanto para Marina Silva, o rompimento entre ambos pode vir a ser desastroso.

Marina perde a chance de participar dessas eleições. O PSB tende a afundar como o partido do futuro. Papel que Eduardo Campos havia habilmente conduzido ao longo dos últimos anos, tornando-o um dos partidos de maior crescimento em prefeituras, governadores e parlamentares.

Sobre esse crescimento, entretanto, ressaltava, claramente, que Eduardo Campos privilegiava mais qualquer tipo de crescimento a uma identificação ideológica mais uniforme.

O crescimento do PSB ocorreu juntando um monte de gatos em um saco, onde cada gato miava em uma cacofonia de certo modo irritante, principalmente para aqueles que esperavam do "novo" partido" um novo comportamento diferente do que vigora, desde muito, em nossa política.

O crescimento do PSB tendia a transformá-lo em um futuro PMDB. Fazendo alianças com uns ou com outros conforme a direção dos ventos.

Assim, tanto o PSB quanto Marina, se veem diante de um dilema: manter as aparências de uma união e lançar Marina como cabeça de chapa ou desfazer totalmente essa união, provocando o naufrágio de ambos.

Difícil prever qual será a decisão. Ela irá depender de muitas conversas; como os bens das famílias serão repartidos; como serão admitidas as visitas às crianças, e, principalmente, como os amigos do casal, tolerados por um, em nome da unidade, mas considerados com más influências, permanecerão amigos. Outras coisas do gênero, comuns em todos os dolorosos casos de separação entre famílias e casais também deverão ser levadas em conta.

A participação de outros "amigos" ocupará também um papel fundamental. Para estes, ver o rompimento de um casal e suas respectivas famílias, pode ser bastante desagradável, principalmente se desse rompimento surgirem perdas materiais.

Assim, não será de estranhar se existirem, como já estamos presenciando, muitas pressões externas pela manutenção das aparências, ao menos até outubro.

Há também aqueles que, diante da tragédia, não hesitem em dela se aproveitarem para cortejar a viúva rica.

(continua...)

José Antônio disse...

(Final do comentário)

Em resumo, de tudo o exposto acima, duas possibilidades poderão ocorrer:

1. O PSB mantém Marina como cabeça e chapa e procura desesperadamente por um vice (tarefa que não é das mais simples).

2. União desfeita e ambos se colocam fora da competição em outubro.

Se a opção 1, prevalecer, o quadro eleitoral deve sofrer as seguintes modificações:

a) eleitores nordestinos de Eduardo Campos tendem, em sua maioria, a demonstrar sua preferência por Dilma. Marina não é conhecida no Nordeste, nem possui grande simpatia por lá.

b) eleitores de Marina, reticentes à união com o PSB podem engrossar o nível de aceitação da candidata, tendo em vista seu potencial, demonstrado em 2010. Entretanto, para que isso possa ocorrer, talvez Marina se veja obrigada a desfazer acertos conduzidos por Eduardo Campos, tais como por exemplo a candidatura a vice na chapa de Alckmin em S, Paulo. Convenhamos que a menos de 5 dias do início das campanhas televisivas, isso não é uma tarefa das mais fáceis.

Se os ventos forem favoráveis, a candidatura Marina recebe um bom sopro e pode ameaçar o segundo lugar de Aécio e talvez provocar um segundo turno: Dilma x Marina.

Se os ventos forem muito desfavoráveis, a decisão poderá ocorrer já no primeiro turno, com a vitória de Dilma.

Como visto, em nenhuma das situações a candidatura Aécio ganharia um reforço. Daí talvez a iniciativa de alguns tucanos em tentarem convencer Marina de que o inimigo comum é o PT e de que, portanto, esta deveria se sacrificar aceitando concorrer como vice de Aécio.

A análise que eu fiz abrange exclusivamente o que pode vir a ocorrer em outubro.

entretanto, a morte de Aécio Campos, produz muitos outros efeitos que irão se estender além de 2018.

Como esse comentário já ficou longo demais, deixarei isso para uma próxima ocasião.

H.P. disse...

Para quem ainda não viu, poderá ver o MENTIROSO CIDADÃO, que tem ampla cobertura da MENTIROSA GLOBO, que disse ter "aberto" os olhos, do corpo já sem vida, DE SEU CANDIDATO EDUARDO CAMPOS, no video abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=VTPiFNA5stY

CADÊ AS DESCULPAS, QUE VOCÊS DEVEM A TODA SOCIEDADE POR VEICULAR ESSAS MENTIRAS, SUA MALDITA E AMALDIÇOADA GLOBO?

BONDeblog S. O. disse...

H. PIRES

Eu já havia alertado para a entrevista desse moço no meu post. Agora, graças a sua dica anexei o VÍDEO, confirmando o que escrevi. Agradeço.

Outra vez o jornalismo da Globo é ridicularizado.

BONDeblog S. O. disse...

José

De fato, são muitas as possibilidades que se apresentam. Eu continuo esperando passar um pouquinho mais para colocar todas elas. Nesse momento ainda meio sem pique, e muito triste com o que tenho lido e visto, como esse cidadão aí do vídeo, e a nossa imprensa meio que tão irresponsável e descuidada.

Agradeço ao amigo a opinião / análise, ela vai me ajudar a coordenar minhas ideias sobre o fato.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS