terça-feira, 12 de julho de 2016

CLARÍN SOA ALTO - JOSÉ SERRA E ALOYSIO NUNES CITADOS EM DELAÇÃO PREMIADA

"CHANCELER" DE MICHEL TEMER E LÍDER DO GOVERNO PROVISÓRIO NO SENADO, ENVOLVIDOS EM RECEBIMENTO DE PROPINA.


A cada dia que passa, o governo do provisório Michel Temer se afunda mais no lamaçal do envolvimento de seus integrantes e políticos que o apoiam com corrupção. Ficaram agora, mas fortes e claras, as acusações de recebimento de propina por parte de SERRA e ALOYSIO NUNES. Há de se convir que, para um governo já mal visto e falado no exterior, onde é tido sim como GOLPISTA, ter o Ministro das Relações Exteriores envolvido na DELAÇÃO de empreiteiros, e ter além do líder na Câmara, agora também o líder do governo no SENADO, ainda mais comprometido com denúncias de corrupção, não é algo que se possa aceitar.
007BONDeblog

'Clarín': Políticos de Temer envolvidos em propinas prejudicam sua presidência  - Além de Aloysio Nunes Ferreira, José Serra aparece em denúncias de duas empresas 

Matéria publicada nesta terça-feira (12) no jornal argentino Clarín, conta que o chanceler do governo interino de Michel Temer, o ministro José Serra, teria recebido propinas de duas empresas de construção: Odebrecht e OAS. 

Os executivos de ambas as empresas estão presos e fizeram acordo de delação premiada, onde se revela tudo que sabe para atenuar suas penas. Desta forma soube-se da "transferência ilegal" de dinheiro para o ministro Serra, quando ele era governador de São Paulo, entre 2007 e 2010.

Segundo a reportagem, o atual ministro foi candidato duas vezes a presidência pelo PSDB. Em 2002, perdeu para Luis Inácio Lula da Silva. A segunda vez foi derrotado em 2010 por Dilma Rousseff. A atual presidente, afastada do poder pelos parlamentares que abriram e aceitaram seu processo de impeachment, triunfou novamente em 2014 contra o senador Aécio Neves, também do PSDB. 

As propinas recebidas por Serra da Odebrecht, estão ligadas a construção de um Rodoanel. Os detalhes desta construção que obteve transferência de subornos para Paulo Vieira de Souza, ex-presidente da empresa que administrou a construção de rodovias em São Paulo. Na verdade, sabe-se que Serra é um dos políticos que aparece em uma lista de "beneficiários" de subornos da Odebrecht, que está com a Polícia Federal. 

O Clarín destaca que o fato de seu chanceler ser mencionado pode ter um impacto negativo sobre Michel Temer. Serra foi visto inicialmente como uma "fortaleza" que iria fornecer força temporária a administração interina. Mas ele não é o único político associado com o presidente provisório que está em sérios apuros. O outro é o senador Aloysio Nunes Ferreira, também do PSDB. No seu caso, a acusação vem de outro executivo de empresas brasileiras: CEO UTC Ricardo Pessoa.

Nenhum comentário:

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

PSDB - UM PARTIDO DE COVARDES E CONIVENTES COM A PREVARICAÇÃO

NÃO SÓ DE CORRUPTOS E ACUSADOS DE CORRUPÇÃO, MUITO MAIS DO QUE ISSO, O PSDB É UM PARTIDO DE POLÍTICOS COVARDES, OPORTUNISTAS (MURISTAS...