quarta-feira, 16 de julho de 2014

GOLEADA MACABRA - ISRAEL 208 X 1 HAMAS - O JOGO DOS INSANOS

E SE FOSSE SEU FILHO ?


RESPONDA ! E SE FOSSE SEU FILHO ?

Após 208 palestinos mortos, o HAMAS não aceitou o cessar fogo mediado pelo EGITO. Devem estar comemorando o fato de que um dos seus novos e mais potentes foguetes, alcançou Israel, passou belas barreiras / escudos anti-mísseis, e matou um civil israelense de 37 anos.

O governo ?? de Israel por sua vez, ficou "agradecido" pela negativa do HAMAS em parar de trocar "tiros". Assim, por terra e pelo AR, a sua "MÁQUINA DE TRITURAR PALESTINOS" continua MATANDO, e já alcançou o número de 208 mortos, sendo que, a maior parte composta de crianças, adolescentes, mulheres e idosos, além de homens adultos sem envolvimento com armas. 

O PLACAR atualizado, mostra que o "TIME" de Israel não dá oportunidade ao adversário, de qualquer tipo de surpresa dentro do CAMPO DE BATALHA, pois, já matou 208 PALESTINOS, enquanto o HAMAS fez uma vítima fatal do lado israelense - "EQUIVALENTE AO GOL DE HONRA" - nos campos de futebol.

Improvável, por tudo, que um dia, tenhamos uma COPA DO MUNDO naquela região do Planeta. Mas, levando-se em conta o tamanho do ÓDIO e do desapreço com que a DIGNIDADE e VIDA HUMANA são tratadas por lá, esses líderes, dos dois lados, e seus apoiadores, já podem erguer a TAÇA da INSANIDADE.

7 comentários:

LRM disse...

Acho que Israel deveria acabar com o seu exército, renunciar ao seu direito de defesa e não responder às agressões de seus inimigos.

Aï sim, tal foto poderá ser com o "seu filho" ( no caso deles, israelenses).

É muito simples: cada israelense morto é uma derrota para Israel. Cada palestino morto é uma vitória para os terroristas do HAMAS. Exibir os corpos como se fossem a "Taça da Copa do Mundo" é uma tática pra lá de sinistra. Israel não mira em civis, o HAMAS sim.

Há uma enorme diferença de propósitos que vão além das proporções.

Por falar em PROPORCIONALIDADE, como gostam os esquerdista-chinfrins, nada é mais proporcional do que o "olho por olho, dente por dente".

A BBC tem um aplicativo que detectou que mais de 90% das imagens mostradas, ou são montagens de photoshop ou de conflitos antigos, muitos deles inclusive da Síria, de onde imagens de crianças mortas jamais foram mostradas. Mas, claro, só Israel "mata criancinhas". Os 300 mil mortos na Síria devem ser todos soldados.

LRM disse...

" "MÁQUINA DE TRITURAR PALESTINOS" "
*******************************
Termo Sensacionalista quando se trata de se referir à Israel. O governo muçulmano do Sudão, esse sim, TRITUROU cristãos. Cerca de 500 mil deles, e não 200 como na Faixa de Gaza. Esses 500 mil sudaneses trucidados o foram de maneira proposital e premeditada pelo simples motivo de não abraçarem a fé islâmica. Saiu alguma foto na imprensa? Claro que não. Cristãos não são troféus. A imprensa internacional também não se importou.
Numa conta macabra tivemos 2500 sudaneses assassinados para cada palestino morto nessa guerra. Ah, me esqueci, guerras costumam matar.

Como se vê, um palestino vale 2500 vezes mais do que um sudanês.

Mas e daí, náo é mesmo esquerdinhas? O ditador do Sudão sempre teve o apoio das esquerdas internacionais. Ele "combate" usamericanu e o "colonialismo" na Äfrica. Perguntem ao Lula, quantas vezes ele se sentou ao lado desse ditador......

José Antônio disse...


D. Lucia,

A situação no Oriente médio é complexa, sim, e há muitos inimigos da paz, de um lado e de outro.

Só que neste momento, assim como o Brasil perdeu o encanto do resto do mundo com seu futebol, Israel está perdendo toda a possível simpatia do resto do mundo, a qual, se nunca foi unânime, já foi muito maior.

Israel e seu governo de extrema-direita precisam abandonar o discurso de "coitadinhos" e de "vítimas".

Infelizmente, as estatísticas são totalmente desproporcionais. Há vítimas dos dois lados, mas a brutalidade das ações de Israel fazem com que a contabilidade macabra penda para um único dos lados em conflito.

A história que a senhora contou que Israel é o único país do mundo que avisa por telefone ou SMS quando irá bombardear uma casa de uma família, é de um cinismo inimaginável.

Imagine a senhora atendendo um telefonema lhe avisando para sair de sua casa imediatamente pois ela será destruída em poucos minutos ou mesmo horas. O que a senhora faria?

Castigar populações civis como revide à ações de guerra, era o hábito dos exércitos alemães durante a segunda guerra. Vide Oradour-sur-Glane que já relembrei aqui.

A faixa de Gaza, com Hamas ou sem Hamas, é uma zona onde as populações civis sofrem em seu dia a dia.

Entendo que parte das tensões que estas populações sofrem proveem também de forças palestinas irregulares. Assim como existiram os Irguns e Haganás antes de 1948.

Mas o maior obstáculo para uma vida normal, que permita aos seus habitantes de poder sonhar com um futuro diferente, este vem da arrogância de Israel, que tudo domina e os castiga por toda e qualquer ação cometida pelo Hamas.

Quer queira quer não, o Hamas se encontra em guerra com Israel. As populações civis deveriam estar protegidas desse conflito. As soluções para as guerras ou são as vitórias militares inquestionáveis ou os tratados de paz.

Qualquer vitória militar parece, hoje, impossível. Ainda que fosse possível seria injusta contra os derrotados.

Assim, só resta apostar em uma verdadeira vontade de estabelecer um conjunto mínimo de condições para o estabelecimento da paz. É preciso que essas ações sejam honestas e sem boicotes.

Há muitas questões a serem resolvidas após tantos anos de guerra.

Aproveitar as situações de conflito para ataques rasantes às populações civis e aproveitar as situações de trégua para construir novos assentamentos em áreas palestinas dão uma demonstração exatamente do contrário.

Assim, não é de estranhar que, em desespero, na falta de alternativas, o ódio se volte contra as forças preponderantes do conflito.

Os dirigentes israelenses (e a sua população que hoje os apoia) deveriam refletir sobre os riscos de tal política.

Além de fazer Israel começar a perder seus principais aliados, ainda por cima contribuem para o acirramento de outra praga que é o antissemitismo.

Se este já se manifestava, com frequência, na ausência de razões objetivas, a brutalidade das ações de Israel, hoje, constituem o caldo de cultura para que este possa vicejar, usando toda essa brutalidade como pretexto.

Infelizmente, o ódio, nutre o ódio. E em um determinado momento é necessário ter a sabedoria para interromper este ciclo vicioso.

Pior ainda é quando ambas as partes recorrem a "deus" para justificar suas posições de intransigência.

O agente mais promissor para essa interrupção deste ciclo vicioso será sempre o mais forte. Desde, é claro, que saiba agir com a cabeça e não com o fígado.

A não ser que a manutenção e o prolongamento do status-quo seja um dos objetivos não confessados.

José Antônio disse...

Israel alerta por telefone: 'Em cinco minutos vamos atingir o alvo'

Atualizado em 16 de julho, 2014 - 05:18 (Brasília) 08:18 GMT

"O Exército de Israel tem usado ligações telefônicas e panfletos para alertar palestinos de seus ataques iminentes contra Gaza que já mataram mais de 200 palestinos..

"Você fala hebraico? Como vai? Tudo bem", pergunta o soldado israelense em um áudio e tradução divulgados pelo Exército israelense. Não é possível ouvir a resposta do outro lado da linha.

Em seguida, vem o alerta: "O Exército de Israel precisa atingir o prédio perto de onde você está. Estamos fazendo tudo o que podemos para não atingir prédios ao redor", diz o soldado.

"Estamos tentanto garantir que não haja nenhum civil antes de atacarmos. Avise a todos porque em cinco minutos vamos atingir o alvo".

O enviado da Autoridade Palestina ao Reino Unido, Manuel Hassassian, disse à BBC que não há alternativa para os moradores se protegerem dos mísseis.

"Não há abrigos ou bunkers, não há para onde ir", disse. "Se eles saem de casa, vão ser atingidos na rua", disse.

Israel alertou milhares de palestinos no leste e no norte de Gaza para que deixem suas casas em meio à intensificação da ofensiva aérea contra alvos de militantes do Hamas.

A operação, que Israel diz ter como objetivo interromper o lançamento de foguetes contra seu território, foi iniciada há oito dias e já deixou 207 palestinos mortos, segundo autoridades. A ONU advertiu que a maioria das vítimas é civil. Entre as vítimas, está um bebê de cinco meses.

Na terça-feira, Israel registrou sua primeira morte - um homem de 38 anos atingido por um morteiro disparado de Gaza
, segundo a imprensa.

Apesar dos constantes ataques contra Israel vindos de Gaza, o número de mortes é tão desigual (207 palestinos e um israelense) por conta da diferença no poder de fogo dos dois lados e do sofisticado sistema de defesa usado por Israel.

Israel retomou seus ataques aéreos com o fracasso de uma tentativa do Egito de mediar um cessar-fogo na terça-feira, e disse que militantes do Hamas dispararam dezenas de foguetes demonstrando que não respeitariam o cessar-fogo.

O gabinete de segurança de Israel havia aprovado o acordo, mas o Hamas inicialmente rejeitou-o, dizendo que os termos não contemplavam o bloqueio à Gaza, imposto em 2007 após a vitória do Hamas em eleições legislativas e que tem causado uma profunda crise econômica no território. As restrições envolvem a circulação de mercadorias e pessoas.

Uma autoridade do Hamas disse à BBC que o grupo analisaria uma solução política para a crise.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse "não ter escolha" a não ser intensificar a campanha militar. "Se não há um cessar-fogo, nossa resposta é fogo", disse.

"Este (problema) poderia ser resolvido melhor diplomaticamente, e isto foi o que tentamos fazer quando aceitamos a proposta egípcia".

"Mas o Hamas nos deixa sem escolha a não ser ampliar e intensificar nossa campanha contra eles".

'Mais de 140 foguetes'

O Exército israelense usou as mensagens telefônicas para alertar 100 mil residentes de Gaza a deixarem suas casas no início da manhã de quarta-feira. Dez pessoas teriam morrido no território durante ataques noturnos.

Israel também atacou a casa de uma autoridade do Hamas no oeste de Gaza. Mahmud al-Zahar, membro do conselho político do grupo, não estava no local no momento do ataque.

A agência da ONU para refugiados palestinos disse na terça-feira que centenas de milhares de palestinos estão sem acesso à água após os ataques israelenses e que 560 casas haviam sido destruídas.

Segundo a ONU, 560 casas já foram destruídas por ataques aéreos israelenses
"

Mais detalhes no site da BBC Brasil:

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/07/140707_israel_gaza_hb.shtml

H.P. disse...

MÁQUINAS DA MORTE.

OS HOLANDESES TÃO "SIMPÁTICOS", TÃO "DESENVOLVIDOS", TÃO "EDUCADOS", TÃO..... ASSASSINOS!

O GENOCIDA Estado holandês, AJUDA A ASSASSINAR mais de 8.300 muçulmanos na Bósnia.

"...Haia, 16 jul/2014 (EFE).- Um tribunal de Haia considerou nesta quarta-feira o Estado holandês responsável pela deportação e morte de 300 homens muçulmanos, que em julho de 1995 estavam em uma região de Srebrenica, na Bósnia, protegida por "boinas azuis" holandeses....

Os juízes emitiram hoje a sentença ao processo aberto em abril pela Fundação Mães de Srebrenica contra o Estado holandês por sua suposta responsabilidade no genocídio de mais de 8.300 muçulmanos na Bósnia em 1995.

A fundação, que representa cerca de 6 mil familiares dos mortos, sustenta que o Estado holandês não soube defender os muçulmanos.

O Estado holandês é "responsável pelo dano sofrido pelos parentes de cerca de 300 homens que no meio-dia de 13 de julho de 1995 foram retirados por forças servo-bósnias da cidade, o que levou à morte da maioria", diz o comunicado do julgado.

"O destacamento holandês agiu incorretamente ao colaborar na deportação desses homens", acrescenta o texto, afirmando que a expulsão dos muçulmanos do enclave acabou em morte...".

BONDeblog S. O. disse...

Senhora Lucia

Eu não vou me dar ao trabalho de um comentário longo como o feito pelo José Antonio. Eu nem mesmo teria a paciência, competência para isso, e nem conheço tão bem a realidade daquela região do Oriente Médio, como ele conhece.

Mas, eu vou resumir, em cima do que a senhora mesmo escreveu, a minha forma de pensar.

"CADA ISRAELENSE MORTO, é uma derrota para o HAMAS, e cada PALESTINO MORTO, uma derrota para ISRAEL" A soma de israelenses e palestinos mortos, são "UMA GRANDE DERROTA PARA A HUMANIDADE".

A senhora raciocina em termos de quantidade, e fica aí dizendo que 300 mortos aqui e outros 1.000 ali...eu não, eu raciocino em termos de valor de cada vida, não importando a nacionalidade do "morto".

LRM disse...

Os senhores tem um discurso que ora beira a ingenuidade, ora tangencia a ideologia.

Em primeiro lugar, como os armamentos de guerra estão, intencionalmente, espalhados entre as residências civis palestinas, é notório concluir que as casas de civis acabam sendo atingidas colateralmente. Avisar às pessoas, antes de cada ataque, sobre o risco de serem atingidas é sim, uma boa prática militar que visa reduzir o número de vítimas. Quiçá nossas polícias no Brasil fizessem o mesmo.

Outra coisa é esse discurso de culpar um governo de direita em Israel. Cumpre lembrar algumas coisas. Uma delas é que os governos podem mudar através do voto. Já organizações como o HAMAS só saem na base da bala, pois se mantém no poder na base da opressão autoritária. Quem não estiver de acordo, o castigo é o fuzilamento.

UM governo esquerdista em Israel, de Ehud Barack, fez uma proposta tão arriscada para Israel quanto irrecusável para os palestinos. Barack ofereceu 95% dos territórios exigidos pelos palestinos. Uma proposta, na minha opinião, suicida para Israel. Arafat recusou e, como "gratidão", organizou a 2a intifada contra Israel.

Assim agem os líderes palestinos. Não querem paz. Vivem ( e enriquecem) da guerra contra Israel. A direita israelense já percebeu isso. Já a esquerda vive sonhando com uma utopia que nunca vai se realizar.

Netaniahu não é o premier dos meus sonhos, mas é o possível por agora. E digo que é o mais seguro para Israel nesse momento.

Enquanto houver o HAMAS, e seu estatuto que prega a DESTRUIÇÃO DE ISRAEL, só teremos mortes de palestinos pois a população de Israel está bem protegida.

Israel só não está protegido de seus inimigos ideológicos, mas eles só podem atacar o minúsculo país com a língua e a mentira, pois militarmente é impossível.

Se Israel abdicar da força e pedir paz teremos um banho de sangue de sua população. Se o HAMAS abdicar da força teremos PAZ. Eis a diferença.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS