terça-feira, 8 de novembro de 2016

CERVERÓ DESMENTE DELCÍDIO E INOCENTA LULA - EX-PRESIDENTE NÃO TENTOU ME SILENCIAR


Em depoimento à 10ª Vara Federal do Distrito Federal, o ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, afirmou que "ouviu dizer" que ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o teria indicado ao cargo na estatal, em 2008, como agradecimento por sua atuação no perdão de uma dívida de R$ 12 milhões do PT, junto ao banco Schahin, com recursos de um contrato da estatal.

Cerveró, foi enfático ao dizer que: “Não foi um reconhecimento oficial, pois Isso me foi dito pelo pessoal da Schahin”. 

Nestor Cerveró, no que de fato é investigado nesse processo, negou que o ex-presidente Lula tenha tentado impedir o acordo de delação premiada, no âmbito da Operação Lava Jato.

Leia a nota dos advogados do ex-presidente Lula: 

Os depoimentos colhidos na data de hoje (8/11/2016) na 10ª Vara Federal do DF desmentem, de forma inequívoca, a delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral quanto à denuncia de obstrução de justiça envolvendo o ex-Presidente Luiz Inacio Lula da Silva.

Foram colhidos depoimentos de Nestor Cerveró, sua advogada e outras três pessoas, que negaram qualquer ação direta ou indireta de Lula com o intuito de impedir ou retardar a delação de Cerveró.

Diferentemente de versões já divulgadas pela mídia, Cerveró não disse que sua indicação para a diretoria da BR Distribuidora foi um ato de Lula como agradecimento por qualquer fato anterior. Ele confirmou que “ouviu dizer” por terceiros esta versão, citando o nome de Sandro Tordin, ex-executivo do setor privado, que não tinha nenhuma relação com Lula.

Dessa forma, a audiência de hoje deixou claro que nosso cliente não praticou qualquer ato ilícito antes, durante ou depois do cargo de Presidente da República. 

Fonte da Nota: Agência Brasil

Nenhum comentário: