terça-feira, 4 de outubro de 2016

SERGIO MORO CONFESSA QUE ATUA DE "FORMA EXCEPCIONAL"

DA EXCEPCIONALIDADE ASSUMIDA, AO ARBÍTRIO DISSIMULADO, É SÓ UM PASSO


A DÚVIDA É SABER SE ESSE PASSO JÁ NÃO FOI DADO

Pelo tempo que pessoas são mantidas presas, sem direito a recorrer em LIBERDADE das condenações em primeira INSTÂNCIA, pela quantidade de PRISÕES TEMPORÁRIAS, que são transformadas em PREVENTIVAS, e pelo uso da DELAÇÃO PREMIADA como forma de coação irresistível, parece que SIM !

Há ainda um forte e reprovável viés de direcionamento contra o PT. É inegável que o tom espetacular e "EXCEPCIONAL"  das OPERAÇÕES policiais e do MPF que envolvem membros do Partido dos Trabalhadores, tem no fundo uma conotação político-partidária.

Todos os que erram devem ser alcançados pela Lei. O problema é quando a LEI parece querer apanhar de forma muito "seletiva" os que erram.

Um comentário:

Trezentos de Esparta disse...

Tribunais de exceção deveriam ser, como seu nome diz, excepcionais e não a norma.

Quem teria decretado os tais "tempos excepcionais" nos quais Moro pretende se apoiar?

Abuso de poder, abuso de autoridade, abuso de interpretação, abusos, e mais abusos.