segunda-feira, 24 de outubro de 2016

BARRACO EM BRASÍLIA - MINISTRO DA JUSTIÇA NÃO PASSA DE "CHEFETE DE POLÍCIA" - POR RENAN CALHEIROS


Senador chamou ainda de "juizeco", o magistrado que autorizou prisão de agentes da Polícia Legislativa

O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), fez duras críticas ao Governo Federal e à Justiça, no caso das prisões de agentes da Polícia Legislativa pela Polícia Federal na última sexta-feira (21). Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (24), Renan chegou a dizer que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, se comporta "no máximo", como um "chefete de polícia".

"O ministro da Justiça não tem se portado como ministro de Estado. No máximo, tem se portado como um chefete de polícia", afirmou o presidente do Congresso.

Renan questionou a ação do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, no Distrito Federal, que ordenou também a suspensão das atividades funcionais dos acusados. 

O senador disse que questionará no Supremo Tribunal Federal "o limite entre os Poderes". Para ele, somente o STF poderia autorizar uma operação da Polícia Federal no Senado, não um juiz de primeira instância. 

Renan disse que um "juizeco" de primeira instância não pode autorizar a ação na Casa.

Nenhum comentário: