quarta-feira, 23 de julho de 2014

PESQUISA IBOPE - DILMA ROUSSEFF CONTINUA LIDERANDO E VENCENDO NUM EVENTUAL SEGUNDO TURNO / JULHO 2014

NÚMEROS BEM DIFERENTES DOS APRESENTADOS PELO DATAFOLHA 
CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Ibope: em cenário estável, Dilma venceria no 2º turno

REDAÇÃO / ESTADÃO
Terça-Feira 22/07/14

Levantamento aponta estabilidade na disputa presidencial

Pesquisa Ibope contratada por O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo mostra estabilidade na disputa presidencial. A presidente Dilma Rousseff (PT) soma 38% das intenções de voto. Na pesquisa anterior, de 15 de junho, Dilma tinha 39%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, tem 22% das intenções de voto, ante 21% do levantamento anterior. O candidato do PSB, Eduardo Campos, tem 8% das intenções de voto – eram 10% na pesquisa anterior. As oscilações estão todas dentro da margem de erro. Nas simulações de segundo turno, Dilma venceria tanto Aécio quanto Eduardo, por 8 pontos e por 12 pontos, respectivamente. 

Completando a chapa do primeiro turno, o pastor Everaldo (PSC) é escolhido por 3% dos eleitores, mesmo patamar anterior. Luciana Genro (PSOL), José Maria (PSTU) e Eduardo Jorge (PV) têm 1% cada. Outros nanicos somam 1%. Brancos e nulos são 16% e indecisos, 9%. Na pesquisa de junho, brancos e nulos eram 13% e indecisos, 8%.

2º turno. No cenário de segundo turno contra o tucano, Dilma soma 41% das intenções de voto contra 33% de Aécio. Brancos e nulos são 18% e indecisos, 8%. Na pesquisa anterior, de meados de junho, Dilma tinha 43% e Aécio, 30%. No levantamento do início de junho, a petista tinha 42% contra 33% do tucano.

Quando Eduardo é o adversário, a presidente tem 41% das intenções de voto contra 29% do pessebista. Brancos e nulos somam 20% e indecisos, 10%. Na pesquisa imediatamente anterior, Dilma tinha 43% contra 27% de Campos. No levantamento do início de junho, a petista tinha 41% ante 30% de Campos.

Espontânea. Na pesquisa espontânea, Dilma Rousseff é citada por 26% dos eleitores. Aécio Neves é mencionado por 12% e Eduardo Campos, por 4%. Outros somam 2%, brancos e nulos, 17%, e 39% não sabem ou não responderam.

3 comentários:

H.P. disse...

Expectativa de vitória
De acordo com o Ibope, 54% dos entrevistados (independentemente da intenção de voto) acham que o futuro presidente da República será Dilma Rousseff; 16% opinaram que será Aécio Neves; 5% acreditam que será Eduardo Campos.

José Antônio disse...


Mais uma vez, repete-se o cenário de 2010.

O Datafolha, desta vez acompanhado pela Sensus, infla o candidato tucano em uma época que é impossível comprovar a correção da sua pesquisa.

O IBOPE, nesta época do ano, em 2010, já divergia do Datafolha e revelava a tendência de subida de Dilma, que o Datafolha levou ainda algum tempo para "perceber".

Agora, segundo o IBOPE, o quadro no primeiro turno, permanece estável desde maio, com variações dentro da faixa de erro.

Registre-se, entretanto que, neste intervalo, a candidatura de Eduardo Campos perdeu força significativamente, no primeiro turno embora tenha crescido de forma, igualmente significativa, no segundo.

Aécio também cresceu bastante no segundo turno.

Dilma, de maio para cá, caiu, 2%, dentro da faixa de erro, tanto no primeiro quanto no segundo turno contra Aécio.

Se é verdade que, de maio para cá, a intenção de votos no segundo turno ficou mais apertada, também é verdade que, no mesmo período, a ocorrência de
segundo turno ficou mais difícil, graças a desidratação de Eduardo Campos no primeiro.

Há, ainda, na minha avaliação, uma super estimação na quantidade de votos dos nanicos (7%) que, se caírem, podem garantir que não haja segundo turno.

As figuras do IBOPE mostram uma estabilização de Dilma e Aécio, no primeiro turno e um estreitamento no segundo. Estreitamente, este, que ocorre também em um hipotético segundo turno entre Dilma e Eduardo Campos.

Tal como o Datafolha, o IBOPE deve começar, a partir de agora, a procurar dar resultados mais "verdadeiros" para o primeiro turno, pois são esses que poderão ser depois comparados, pelos eleitores, com os votos nas urnas.

Mas, também, tal como o Datafolha e os demais, não existe nenhum compromisso em acertar o que ocorrerá em um hipotético segundo turno, que nem mesmo poderá ocorrer.

Do instante desta pesquisa até outubro, muita coisa poderá acontecer e que pode modificar o resultado final.

Agora deve começar a campanha eleitoral, propriamente dita, onde os candidatos estarão livres para apresentarem suas propostas e se mostrarem ao eleitor.

Para o período que vai até as eleições, Dilma conta com duas cartas fortes: Lula e as realizações ao longo do seu mandato.

A oposição conta com uma carta forte: a imprensa toda do seu lado que fará tudo para amplificar qualquer deslize da candidata petista e abafar as mutretas tucanas.

A oposição conta, entretanto, com uma fraqueza, que consiste nos fogo amigo proveniente de José Serra.

Vimos isso ocorrer neste final de semana.

Não sei o quanto de cálculo existe neste fogo amigo. A julgar pela aula de matemática que o, então candidato, José Serra, deu a alunos do primeiro grau, suas habilidades neste campo são escassas.

Se José Serra julga que pode continuar atirando sem ferir de morte seu correligionário tucano, pode ser que ele se engane.

A observar se os jornais paulistas vão continuar alimentando essa picuinha entre Serra e Aécio.

No meu entender, a imprensa pode registrar o fogo amigo, como fez neste final de semana, mas não deverá dar muita repercussão para não prejudicar o projeto tucano, aliás como já está acontecendo.

Uma segunda fraqueza, potencial, para a oposição poderá ocorrer se Aécio, conforme prometido, trouxer FHC para o seu palanque.

De qualquer forma, as eleições não estão ganhas e todo o cuidado, por parte do PT e da Dilma, e pouco. Não dá para contar apenas nos gols contra da oposição. Infelizmente, temos demonstrado isso nas últimas eleições, nós também somos craques em fazer gols contra nos últimos minutos do tempo regulamentar.

E é bom ficarmos atentos para respondermos imediatamente às edições de fim de semana da Veja, assim como ficar de olho nas sondagens para segundo turno que podem levar a oposição questionar uma vitória da Dilma, caso este segundo turno jamais venha a acontecer.

José Antônio disse...


Por Tutty Vasques, no Estadão (Serra?), hoje:

Ibope x Datafolha

quarta-feira 23/07/14

"Quem vai ganhar as eleições, Ibope ou Datafolha? Nas últimas pesquisas, pintou a primeira diferença nas intenções de voto aferidas pelos dois institutos de opinião: O Ibope dá vitória da Dilma sobre Aécio (41% a 33% dos votos) no segundo turno contra um empate técnico (44% a 40%) registrado pelo Datafolha."

Bem... na minha opinião esta é uma batalha da qual nunca saberemos o resultado final.

As afirmações contraditórias dos dois institutos jamais poderão ser comparadas aos resultados finais.

Portanto, a questão colocada por Tutty Vasques não terá resposta. A cada um de avaliar os motivos pelos quais ocorrem as costumeiras divergências entre os dois institutos.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS