terça-feira, 10 de junho de 2014

ÚLTIMA PESQUISA IBOPE - DILMA CONTINUA LIDERANDO - NÚMEROS TOTALMENTE DIFERENTES DO DATAFOLHA - 10/06/2014



Nunca os Institutos de pesquisa foram tão "enigmáticos" e "reservados" na divulgação de suas PESQUISAS. A última do IBOPE, em comum com a última do DataFolha, só traz mais uma "queda" nas intenções de voto da presidente Dilma, que ainda assim continua líder com 38%.

DE RESTO

Salta aos olhos a disparidade dos números de intenção de voto em Eduardo Campos. Na pesquisa DataFolha da semana passada, Campos desabou para (7%), na do IBOPE divulgada hoje, ele tem (13%) e cola em Aécio, quando tem seu nome aliado ao de Marina Silva. A chamada "metodologia", aplicada pelos dois Institutos, deve ser completamente diferente, para em tão curto espaço de tempo apurar números tão díspares. Curioso ainda que na matéria publicada pelo Estadão, NÃO CONSTA o percentual dos votos espontâneos, nem o índice de rejeição dos demais candidatos, fora o de Dilma, que o jornal faz questão de ressaltar. Aliás, como  a própria matéria traz LITERALMENTE lá no finalzinho, tudo parece feito para GERAR más notícias para a candidatura Dilma Rousseff.

Redação BONDeblog
======================================================================
Com Marina na vice, Campos encosta em Aécio, diz Ibope
DANIEL BRAMATTI - O ESTADO DE S. PAULO
10 Junho 2014 

Pesquisa encomendada por entidade de vereadores indica que ex-ministra aumenta competitividade do pré-candidato do PSB

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira, 10, mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) com 38% das intenções de voto, dois pontos porcentuais a menos do que em maio. Seus adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) oscilaram dois pontos para cima (de 20% para 22% e de 11% para 13%, respectivamente). Com a inclusão dos nomes dos vices nas cartela apresentada aos eleitores, porém, Campos se aproxima de Aécio - sua desvantagem varia entre quatro e cinco pontos. 

A pedido da União dos Vereadores de São Paulo (Uvesp), entidade que pagou a pesquisa, o Ibope testou cenários com diferentes vices para Aécio (José Serra, Tasso Jereissati e Aloysio Nunes), além de colocar Marina Silva na chapa de Campos e Michel Temer na de Dilma.

Marina é a única vice que provoca alterações significativas no panorama. Com seu nome associado ao dela, o pré-candidato do PSB fica com 17% a 18% das intenções de voto, a depender do cenário. A inclusão de Serra na chapa de Aécio faz com que o tucano fique com 23%.

Segundo turno. No cenário comparável com as pesquisas anteriores - aquele no qual os nomes dos vices não são apresentados -, os concorrentes de Dilma somam 42%, quatro pontos a mais do que a petista. Isso indica que aumentou a chance de segundo turno. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 40%, e os adversários, 36%.

Os cenários de segundo turno também mudaram significativamente, graças ao crescimento dos candidatos de oposição. Em um eventual embate com Aécio, a vantagem de Dilma caiu de 19 para 9 pontos porcentuais - em menos de um mês, o placar passou de 43% a 24% para 42% a 33%.

No cenário de confronto direto contra Campos, a petista também viu sua vantagem diminuir, de 20 pontos (42% a 22%) para 11 (41% a 30%).

Rejeição. Outra má notícia para a presidente foi o aumento da rejeição a seu nome: a parcela do eleitorado que afirma que não votaria nela de jeito nenhum subiu de 33% para 38%.
A pesquisa entrevistou 2002 pessoas em 142 municípios do País entre 4 e 7 de junho. O nível de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 2 pontos porcentuais. O levantamento foi registrado sob o protocolo BR-00154/2014 no Tribunal Superior Eleitoral.

Um comentário:

José Antônio disse...


Bond,

Nessa pesquisa o IBOPE fez uma consulta, além de incluir todos os candidatos, uma outra específica, apenas com os três mais bem colocados.

Assim, posso fazer, aqui, aquilo que eu venho fazendo já a algum tempo.

Apresentar qual foi a variação de cada um dos três candidatos, desde outubro de 2013.

Assim:

Dilma passou de 41% para 39%

Aécio passou de 14% para 23%

Eduardo Campos passou de 10% para 13%.

Pela primeira vez o candidato Aécio Neves consegue dar um salto quantitativo expressivo (+ 9%), enquanto Eduardo Campos cresce apenas 3%.

Já a Presidenta Dilma teve uma pequena variação negativa, dentro da faixa de erro, de 2%.

Consultando a pesquisa completa (cujo endereço se encontra aqui:

http://www.uvesp.com.br/download/pesquisa-uvesp-ibope.pdf

vemos que Dilma está tendo muitas dificuldades com os jovens entre 16 e 24 anos, com os setores de maior faixa de renda e com os setores com grau de instrução superior.

Em particular, considero que Dilma deveria fazer um esforço maior para tentar reverter a tendência de voto da parcela mais jovem do eleitorado.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS