terça-feira, 10 de junho de 2014

PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF NO ATAQUE À CAMPANHA SÓRDIDA DE QUE A INFLAÇÃO ESTÁ FORA DE CONTROLE


Dilma rebate críticas de que inflação está fora de controle
10/06/2014 13h50
Brasília
Yara Aquino e Carolina Gonçalves - Repórteres da Agência Brasil Edição: Davi Oliveira

A presidenta Dilma Rousseff rebateu hoje (10) críticas de que a inflação está fora de controle. Segundo ela, a inflação está controlada e o país tem condições de manter um crescimento constante e contínuo.

“Hoje tem uma campanha que diz que a inflação está sem controle no Brasil. Todo mundo sabe que a inflação no Brasil é cíclica. Entre junho e setembro, ela cai, entre outubro e fevereiro, ela sobe, estaciona, depois, vai caindo lentamente. Tem 15 anos que funciona assim, é o fluxo da inflação”, disse, ao discursar na convenção nacional do PDT.

“Quero dizer para vocês que a inflação está sob controle, que o país tem todas as condições de manter um crescimento constante e contínuo a partir de agora, e que tudo que plantamos vamos colher”, completou.

A presidenta comparou os índices de inflação de seu governo com o de seus antecessores, os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso. “Se comparar os três primeiros anos do governo do Fernando Henrique Cardoso, a inflação chegou a 12,43%; nos três primeiros anos do presidente Lula, ele baixou para 7,2%; e, nos meus três primeiros anos, eu garanti que ela ficasse em 7,08%”, disse.

Aos participantes do congresso do PDT, Dilma disse ainda que seu governo vai fazer o maior programa de infraestrutura que o país já viu. Ela ainda argumentou que Brasil foi o único país que durante o que ela chamou de “maior crise” desde 1929 conseguiu manter os empregos e a taxa de crescimento. “Combatemos a crise assegurando que o Brasil manteria a sua estabilidade e provando que conseguiríamos isso, que manteríamos a inflação sob controle”.

A presidenta lembrou que, durante seu governo, foram criados 4,8 milhões de empregos, e que esse número deve ultrapassar os 5 milhões até o final do ano. Além disso, disse que o salário mínimo foi elevado em 70% acima da inflação.

“Nesse contexto, conseguimos uma das maiores reduções da desigualdade de renda no Brasil. Enquanto a renda per capita subia de 7% a 32%, a dos mais pobres cresceu 106%. Houve redução da desigualdade porque todo mundo cresceu, mas os pobres cresceram mais”, completou.

6 comentários:

H.P. disse...

Acabou a votação agora.
Mantida a coligação PT-PMDB para presidência. Quase 400 votos a favor.
É o que se informa para o momento.

José Antônio disse...


Bond, falam tanto do "custo Brasil".

Eu diria, o "custo Brazil".

Quanto custa para o Brasil, sustentar o Brazil que vive, sistematicamente, atrapalhando o desenvolvimento do primeiro.

Há uma série de obras de infraestrutura que já estão prontas e outras tantas que estão sendo concluídas e que devem reduzir drasticamente o custo Brasil nos próximos anos.

Entre as concluídas: os dois corredores rodoviários com o Pacífico, um através do Peru e o outro, através da Bolívia;

Novos trechos da ferrovia norte-sul, que agora, chegam a Anápolis;

A integração de diversos modais de transporte: rodoviário-ferroviário-hidroviário que servem para escoar a produção do interior do Brasil, principalmente do Centro-Oeste, desafogando os portos, e seus respectivos acessos, de Santos e Paranaguá;

Destaque que o transporte ferroviário foi criminosamente abandonado nos governos que precederam o governo Lula e que o transporte hidroviário sempre foi muito falada, mas pouca coisa se fez a respeito.

A duplicação de várias estradas federais, entre as quais a Rodovia JK, entre Juiz de Fora e BH, a BR-101 Sul, praticamente concluída, além de trechos importantes da BR-101 nordeste.

Fora as grandes obras em andamento:

Conclusão de diversas usinas hidroelétricas para afastar de vez todo e qualquer fantasma de racionamento levantado periodicamente pela oposição e seu braço midiático, o PIG;

Construção de diversas ferrovias, entre as quais, a Transnordestina, a Ferronorte, a FICO - Ferrovia de Integração Centro-Oeste, a FIOL - Ferrovia de Integração Oeste-Leste, além do prosseguimento da Ferrovia Norte Sul, agora até o Rio Grande do Sul.

A transposição do Rio S. Francisco que deve dar um alento às populações nordestinas assoladas, durante séculos, pela seca e pela exploração dos grandes proprietários;

A modernização e criação de novos portos, entre os quais, o de SUAPE em Pernambuco, integrado a um sistema de grandes depósitos e armazéns;

Várias estradas, hoje, se encontram em duplicação, tais como a BR-060, entre Brasília e Campo Grande (Entre Goiânia e Jataí, praticamente já está toda duplicada); trechos importantes da Transbrasiliana, ou BR-153, que pode ser considerada uma espinha dorsal rodoviária do Brasil, unindo Belém a Aceguá, no RS, e passando por Brasília; o prlongamento, em via duplicada, da BR-040, entre BH e Brasília.

Há muito a ser feito; há muitos entraves com as empreiteiras, nenhuma delas santinha; há muitos problemas ecológicos a serem compatibilizados com as obras; há muitos problemas de desapropriações que devem ser realizados com sensibilidade, sem sobrevalorizar as terras desapropriadas, mas também indenizando seu proprietários com valores justos. Tudo isso provoca alguns problemas com a justiça o que provoca atrasos nos prazos previamente calculados, além de muitas vezes o aumento do custo inicialmente previstos.

Em resumo, a infraestrutura de integração nacional, pela primeira vez está se fazendo de forma integrada envolvendo os diverso modais e unindo as diversas regiões do Brasil.

Quem reclama do "custo Brazil", deveria arregaçar as mangas e contribuir, com quem está trabalhando para que o custo Brasil seja progressivamente reduzido.

LRM disse...

Eu não preciso que nenhum candidato, seja de oposição ou da situação, me fale sobre inflação. Isso eu meço no supermercado, e posso garantir que já está em 2 dígitos.

LRM disse...

Diz aí Sr. José Antônio: como anda a transposição do Rio São Francisco?

José Antônio disse...


Igualzinho à obra que estou fazendo em meu apartamento, D. Lucia: atrasada.

E tenho a certeza que qualquer pessoa, inclusive D. Lucia, que tenha feito qualquer obra, mesmo que uma simples reforma, sistematicamente se irrita com os atrasos e com o custo final que supera as expectativas iniciais.

E isso, por que são obras privadas às quais, em princípio, não devemos dar conta a ninguém sobre nossos gastos.

Se ainda por cima, tivermos que solicitar autorização a qualquer prefeitura, nem começar a obra podemos. Dependendo dos casos, essa autorização pode levar mais de 2 anos até conseguirmos a bendita autorização. Mesmo com tudo em ordem.

No caso de dinheiro público, todas essas exigências ocorrem pelo hábito que existe, em todos os países do mundo, de uma empreiteira ou um político querer levar uma parte para o seu bolso.

Por isso, torna-se necessária uma certa burocracia para garantir que o dinheiro público não seja dilapidado.

Juscelino, que dizem ter avançado o país 50 anos em 5, construiu Brasília em menos de 5 anos; hoje levaria mais de 50.

E na época, quem era nascido lembra, como foi a farra das empreiteiras.

Ah, sim... e não é só no Brasil.

As obras de reconstrução da Alemanha Ocidental, graças aos fartos recursos do Plano Marshall, também foram a festa das empreiteiras alemãs.

Há um filme do Fassbinder que mostra isso muito bem...

E temos também a FIFA como exemplo. E dirigida por um Suíço.

Com a união entre a FIFA e a Rede Globo, então, a dilapidação de grana pública explode.

Infelizmente, D. Lucia.

Eu não tenho ilusões nem defendo as maracutaias.

Só que acho que as maracutaias só se combatem com luz. Muita luz para produzir transparência.

Quando se levanta poeira acusando a maracutaia dos outros, não combatemos a corrupção. Só aquela da qual não participamos. A "nossa" fica encoberta na escuridão que a poeira provoca ao impedir a passagem da luz.

Luz, D. Lucia! Luz.

Seja coerente ao seu nome, D. Lucia. Lucia quer dizer luz.

BONDeblog S. O. disse...

José

A maioria das obras estão atrasadas ou nem começaram, isso no campo das feitas não por governos / obras públicas, mas sim aquelas na casa do vizinho, conhecido, filho...

Não tem um pedreiro disponível, é a maior dificuldade para se encontrar um BOMBEIROS HIDRÁULICO.

Diga aí para a DONA LUZ (Gostei dessa) que porém tá iluminando pouco o debate, que a transposição do São Francisco vai concluir o primeiro trecho ainda em 2014.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS