segunda-feira, 16 de junho de 2014

JOAQUIM BARBOSA QUER CONDENAR ADVOGADO DE GENOINO - LUIZ FERNANDO PACHECO TEVE A CORAGEM DE ENFRENTÁ-LO


Desacato ? CALÚNIA ? Injúria ? DIFAMAÇÃO ? Onde se deram esses "crimes", e cometidos pelo advogado Luiz Fernando Pacheco, contra o Ministro Joaquim Barbosa ? Por certo não foram no dia e no momento em que PACHECÃO foi ao STF`"rogar" a Joaquim Barbosa que ele pusesse em pauta o recurso de prisão domiciliar para José Genoino.

Em nenhum momento, ao menos nas imagens e áudios que foram trazidos ao distinto público, o advogado, ofendeu, ameaçou ou difamou o Presidente do STF.

Parece que, diante da péssima repercussão do seu ato em mandar retirar à força o advogado do Plenário do STF, criticado até por um outro Ministro, pela OAB e por diversos outros juristas, o Ministro Joaquim Barbosa resolver atacar como a melhor forma de se defender.


Barbosa pede abertura de ação penal contra advogado de Genoino
André Richter - Agência Brasil - 16.06.2014

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, pediu hoje (16) à Procuradoria da República no Distrito Federal a abertura de uma ação penal contra advogado do ex-deputado José Genoino, Luiz Fernando Pacheco. Barbosa pede que Pacheco seja investigado pelos crimes de desacato, calúnia, difamação e injúria. A reportagem da Agência Brasil entrou em contato com o advogado e aguarda sua posição sobre o caso.

Leia mais no Portal EBC

Na semana passada, Barbosa mandou seguranças da corte retirarem Pacheco do plenário. Barbosa deu a ordem após Pacheco subir à tribuna para pedir que o presidente libere para julgamento o recurso no qual Genoino diz que tem complicações de saúde e precisa voltar a cumprir prisão domiciliar. Na ocasião, os ministros do STF estavam julgando um processo sobre a mudança no tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados.

Ao subir à tribuna e interromper o julgamento para cobrar de Barbosa a liberação do recurso, Pacheco foi questionado pelo presidente: "Vossa Excelência vai pautar [a corte]?". O advogado respondeu: “Eu não venho pautar. Venho rogar a vossa excelência que coloque em pauta, porque há parecer do procurador-geral da República [Rodrigo Janot] favorável à prisão domiciliar deste réu, deste sentenciado. Vossa excelência, ministro Joaquim Barbosa, deve honrar esta Casa e trazer aos seus pares o exame da matéria”, respondeu Pacheco.

Após dizer duas vezes: “eu agradeço a vossa excelência”, na tentativa de cortar a palavra de Pacheco, Barbosa determinou a retirada do advogado do plenário. “Eu vou pedir à segurança para tirar este homem”, disse Barbosa.

Ao ser abordado pelos seguranças, o advogado protestou: “isso é abuso de autoridade!”, gritou. Joaquim Barbosa ainda retrucou: “Quem está abusando de autoridade é vossa excelência. A República não pertence a vossa excelência, nem à sua grei (grupo). Saiba disso.”

No dia 4 deste mês, o procurador Rodrigo Janot enviou ao Supremo parecer favorável ao regime de prisão domiciliar para Genoino. Segundo Janot, o ex-deputado deve voltar a cumprir pena em casa enquanto estiver com a saúde debilitada. Ele foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão em regime semiaberto na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Editora: Luana Lourenço

4 comentários:

José Antônio disse...


Bond, todos nós vimos o vídeo.

O JB vai ter que subverter toda a ordem jurídica para provar que o Advogado Luiz Fernando Pacheco chegou a cometer quaisquer dos crimes citados por JB: desacato, calúnia, difamação ou injúria.

Se a OAB não se acovardar, quem terá que responder na justiça será o próprio JB.

Anônimo disse...

Vídeo com Integra, com legendas, da fala de Luiz Fernando Pacheco na sessão do STF.

https://vimeo.com/98330665

José Antônio disse...


O vídeo indicado pelo anônimo acima, é um dos mais completos.

Vemos claramente as provas de que as alegações do Presidente do STF sobre a conduta do advogado de José Genoíno não procedem e estão desprovidas da menor sombra de verdade.

Se houver alguma corte independente para julgar o processo no qual JB acusa o advogado dos crimes de desacato, calúnia, difamação e injúria, o resultado desse julgamento será bastante amargo para JB.

Felizmente, o documento que comprova a ordem e a sequência dos fatos permitem a reconstituição da verdade. Pura e cristalina

A palavra de um Presidente do STF nunca poderá ter mais valor do que os documentos que registraram os fatos.

Contra fatos não há argumentos. Sequer aqueles proferidos por um Presidente do STF, o qual, como todo cidadão, jamais poderá estar acima da verdade e das leis.

José Antônio disse...



"Em documento datado desta terça, Barbosa diz que ''vários advogados'' que atuam nas execuções penais do mensalão deixaram de se valer de argumentos jurídicos e passaram a atuar ''politicamente'', na esfera pública, com insultos pessoais contra o relator."

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/06/1471769-joaquim-barbosa-se-afasta-da-relatoria-do-mensalao-no-supremo.shtml

Ora, ora.... Sua excelência quer inverter a ordem dos fatos.

Sua excelência esquece que sua participação, que deveria ser a de um magistrado isento, durante o julgamento da AP-470, foi exclusivamente de caráter político, de olho nos holofotes de uma mídia interessada politicamente em um resultado previamente estabelecido para aquele processo.

Sua excelência esquece do papel subserviente, indigno de um Ministro da Corte de justiça mais alta do país, exercido sem pudor e levando ao descrédito a maior instituição do judiciário brasileiro.

Ora... A quem pensa Sua Excelência que engana? Ao comportamento de Sua excelência, Ministro Joaquim Barbosa, Presidente do STF, deve ser atribuído o "domínio do fato", ou não?

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS