quinta-feira, 1 de maio de 2014

CFM X DILMA ROUSSEFF - POLÊMICA QUE NÃO RESOLVE NADA

A presidente Dilma, não sei com que intenção, e ressalvado se disse mesmo o que a matéria apresenta, perdeu boa oportunidade de ficar calada, ou de dar um enfoque mais feliz à sua fala com jornalistas esportivos. E nem é que ela não tenha razão ao afirmar que os médicos cubanos tem uma forma de tratar os pacientes, muito mais atenciosa e calma. É que isso, a declaração da presidente, não contribui em nada para melhorar o canal de diálogo com os médicos, nem ajuda na resolução dos problemas da saúde pública do Brasil.

Quanto ao CFM, querer negar que o atendimento por parte dos médico brasileiros no SUS, é corrido, que os pacientes mal tem tempo de expor suas queixas, que esperam horas pelo atendimento para depois ser despachado em poucos minutos, e que passamos sim, por uma crise na relação médico-paciente, (inclusive nos que são atendidos em consultórios via plano de saúde) é tentar tapar o sol com a peneira. E que fique registrado que a presidente, pelo que a matéria apresenta, não questionou a competência dos médicos brasileiros, que estão entre os melhores do mundo.

A SAÚDE PÚBLICA vai mal, e não é de hoje que isso ocorre, visto que o DESMONTE começou bem lá atrás, em governos de SARNEY - COLLOR, aprofundado por FHC. Só que, se tem uma questão básica em que o governo Lula e o governo Dilma não conseguiram grandes resultados, é na questão da saúde, no que toca exatamente essa do ATENDIMENTO de URGÊNCIA / EMERGÊNCIA / PRONTO ATENDIMENTO e consultas ambulatoriais. Ainda que se afirme que grande parte disso tudo é competência dos governos dos Estados e Municípios, nesse aspecto, de melhorar o atendimento, a parte do governo federal não vem sendo feita de forma positiva o bastante. Melhoramos muito em certos programas específicos, vacinação, equipamentos, mas...

No Rio de Janeiro, por exemplo, está aí o Hospital do Andaraí, para comprovar o que afirmo.

Diversas vezes já escrevi aqui, que não há solução para a saúde publica enquanto não houver um grande pacto nacional, para que via concurso público, servidores da saúde sejam ESTATUTÁRIOS, com plano de carreira e salários dignos. Não há solução, sem se melhorar e muito a qualidade do ensino nos cursos de Medicina e demais profissões da área de saúde, sem aperfeiçoar a Residência Médica e o regime de INTERNATO. NÃO SAIREMOS da situação em que estamos, sem que o CORPORATIVISMO que tira toda a responsabilidade dos profissionais e tenta jogar no governo a culpa por tudo que está errado ou não funcionando de forma satisfatória, seja abolido por conselhos e entidades de classe.

É lamentável dizer, mas, muitos médicos atendem mal sim, são grosseiros, arrogantes, sem nenhuma sensibilidade e tato para tratar com a população. Faltam, chegam tarde, saem cedo, deixam de atender adequadamente, borram receitas com letras que ninguém consegue ler, acompanhadas de explicações insuficientes, pouco claras e numa linguagem inacessível para a população, e isso não tem obrigatoriamente relação com salário ou com as condições em que exercem sua atividade.

E forçoso ainda dizer que, a vinda dos médicos cubanos foi positiva, está conseguindo levar a uma expressiva fatia da nossa população o atendimento que ela não recebia, e os médicos brasileiros sabem que não estão sendo em nada prejudicados por esse PROGRAMA.

Quem sabe, já passou da hora do governo e dos médicos, além dos demais profissionais de saúde, encontrarem um caminho para dialogar, visando enfrentar os graves problemas da saúde, que não terão solução enquanto ânimos acirrados e jogo de empurra de culpas, for o tipo de conduta adotado pelas partes

Redação BONDeblog

=============================================
CFM diz que declaração de Dilma sobre cubanos é agressão a médicos brasileiros
Em jantar com jornalistas esportivos na segunda-feira, a presidente elogiou o tratamento dos profissionais cubanos, definindo-o como mais 'humano'
01 de maio de 2014


BRASÍLIA - O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou nota nesta quinta-feira, feriado
do Dia do Trabalho, contra a declaração da presidente Dilma Rousseff de que os médicos cubanos são mais requisitados pelos prefeitos por serem mais atenciosos que os profissionais formados no Brasil.

"Tal afirmação representa mais uma agressão direta e gratuita aos 400 mil profissionais que têm se empenhado diuturnamente no suporte às políticas de saúde e no atendimento à população nas redes públicas e privada", diz trecho da carta aberta à presidente.

Em jantar com jornalistas esportivos em razão da Copa do Mundo, na segunda-feira, 28, a presidente elogiou o tratamento dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos, definindo-o como mais "humano". "O padrão de atendimento dos cubanos é melhor que o nosso", afirmou Dilma, em relação ao tratamento inicial oferecido aos pacientes pelos médicos brasileiros nos serviços públicos de saúde. Segundo ela, ao todo são 14 mil médicos cubanos trabalhando no País.

Em oposição, o CFM afirma no documento que a medicina brasileira está entre as melhores do mundo, embora o sistema público esteja em crise.

Matéria Resumida
Fonte Estadão

Um comentário:

José Antônio disse...


Saúde e Educação, duas tragédias da herança maldita recebida pelos governos Lula/Dilma.

Apesar das dificuldades, estamos, pouco a pouco, vencendo a vergonhosa situação que nos deixa, ainda, entre os países mais atrasados.

Do jornal espanhol "El País", de terça-feira, 29 de abril:

"Cuando se habla de educación, la imagen de Brasil no es de las mejores. Principalmente cuando se le compara con países más desarrollados. "Pero el vaso está medio lleno, y no medio vacío", sostiene Andreas Schleicher, uno de los responsables del Programa para la Evaluación Internacional de los Estudiantes (PISA), el mayor ránking de evaluación de desempeño escolar del mundo.

Director adjunto de Educación de la Organización para la Cooperación y el Desarrollo Económico (OCDE), Schleicher presentó algunos datos relativos a la educación brasileña e internacional durante el foro PISA y PIAAC: Mejores cualificaciones, mejores empleos, este martes en Brasilia. El evento fue patrocinado por EL PAÍS en colaboración con la Fundación Santillana, la propia OCDE, el Instituto Nacional de Estudios y Encuestas Educacionales Anísio Teixeira (INEP) y el Ministerio de Educación de Brasil.

Aunque admita que el país tiene un largo camino por recorrer, el director de la OCDE recordó que Brasil fue el país que más avanzó en los indicadores desde 2000, cuando empezó. Schleicher comentó que es preciso reconocer que los brasileños, que no están integrados en la OCDE, han decidido encarar los desafíos de exponerse a los resultados del informe PISA desde el inicio, a pesar de las continuas críticas de algunos especialistas que creían que, en vez de ayudar, acabaría por desestimular la evolución del sistema educacional, dada la gran distancia que le queda por recorrer en relación a países más desarrollados.

En diciembre del año pasado, por ejemplo, Brasil elevó su nota en matemáticas de 356 a 391, convirtiéndose en el país que más mejoró desde 2003 en el área. El informe de la OCDE también destacó entonces el avance de Brasil en la educación primaria y secundaria, con un crecimiento del 65% en 2003 al 78% en 2012 en niños escolarizados de hasta 15 años.

También viendo el vaso medio lleno, los alumnos brasileños volvieron a destacar por su capacidad de resolver problemas prácticos, según el experto. A pesar de ello, el país ocupó el 58º lugar de un total de 65 países analizados en matemáticas.
"

http://sociedad.elpais.com/sociedad/2014/04/29/actualidad/1398794954_534927.html

Ainda há muito a ser feito, dada a dramática situação herdada durante séculos de abandono. entretanto, o reconhecimento internacional sobre os avanços na era Lula/Dilma é indiscutível e deveria calar a boca de certos comentaristas que apenas repetem suas maldosas críticas feito papagaios.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS