sábado, 10 de maio de 2014

A DITADURA DA CANETA - ADVOGADOS DE DIRCEU DIVULGAM NOTA CRITICANDO DECISÃO DE JOAQUIM BARBOSA

BLOGUEIRO SEM MEDO DE ERRAR COMBATE 


O 'ofício' de blogueiro tem alguns dissabores, um deles é a pressão da família, com medo de perseguições e agressões que possamos sofrer por conta das posições que assumimos. Não é de estranhar o medo e, convenhamos, ele é até procedente. Num país em que SENADOR ofende e ameaça blogueiro, e a imprensa publica que o fato foi o contrário, e em que no STF se houve dizer que o ÔNUS DA PROVA cabe ao acusado, e quando até jornalistas são agredidos, tem seus celulares e câmeras quebrados, tudo registrado e nada acontece, tudo é possível.

Mas, vez por outra, também as alegrias e a satisfação do dever cumprido ao se adotar uma defesa da coerência e da JUSTIÇA, aparecem para dar alento. Sem ser profissional do direito, imediatamente após a decisão do Ministro Joaquim Barbosa em referência à negativa de permitir que José Dirceu trabalhe fora e os argumentos pífios por ele apresentados, publiquei post criticando o Ministro e prevendo a repercussão negativa de sua decisão absurda, que acabaria por LEVAR TODOS OS PRESOS DO REGIME SEMIABERTO PARA ATRÁS DAS GRADES.

SEM MEDO DE ERRAR, ACERTEI EM CHEIO. A nota dos advogados de José Dirceu é apenas a primeira das manifestações que vamos ver criticando a decisão do Presidente Joaquim Barbosa. O fato é claramente uma das maiores aberrações. Essas manifestações só não serão mais intensas, pelo medo que JOAQUIM BARBOSA inspira. Lamentavelmente é isso que ocorre, o Ministro Joaquim Barbosa hoje inspira medo. 

Redação BONDeblog
=================================================================
Confira a íntegra da nota:

Há muitos anos os Tribunais brasileiros, em especial o Superior Tribunal de Justiça (STJ), entendem perfeitamente cabível a concessão de trabalho externo para o preso condenado ao regime semiaberto.

É uma questão jurídica pacificada, não existe controvérsia. Como prova, basta observar que o Procurador-Geral de Justiça Dr. Rodrigo Janot, os representantes do Ministério Público do Distrito Federal e os juízes da Vara de Execuções Penais de Brasília, todos, sem exceção, concordaram que os presos da Ação Penal 470, condenados ao semiaberto, pudessem exercer imediatamente o direito ao trabalho externo.

O Ministro Joaquim Barbosa tinha absoluta ciência que os demais condenados da Ação Penal 470 estavam trabalhando fora do presídio e também não discordou da viabilidade jurídica deste importante direito.

Justamente no momento em que o Ministro Joaquim Barbosa teria que decidir sobre um condenado específico, o ex-Ministro da Casa Civil José Dirceu, sobreveio uma abrupta mudança de entendimento.

O Ministro Joaquim Barbosa passou a alegar que os brasileiros condenados ao regime semiaberto não possuem mais o direito ao trabalho externo. Devem, primeiro, cumprirem (sic) o total de um sexto da pena imposta. Para justificar esta decisão, que contraria o entendimento atual unânime e consolidado dos tribunais brasileiros, citou julgados da década de noventa. Inovou no direito brasileiro, criando a jurisprudência que evolui para trás e caminha para o atraso.

O retrocesso pretendido pelo Ministro Joaquim Barbosa é ilógico e cruel. No seu entendimento, todo cidadão condenado ao semiaberto somente poderá trabalhar fora da prisão depois de cumprir um sexto da pena. Porém, depois deste período, o condenado deixa o regime semiaberto em progressão ao regime aberto. Na prática, o Ministro Joaquim Barbosa proclamou que nenhum preso condenado ao semiaberto poderá exercer o direito ao trabalho externo.

Em complemento, o Ministro Joaquim Barbosa afirmou que um escritório de advocacia não é adequado para José Dirceu exercer trabalho administrativo porque não permitiria a fiscalização do Estado. Esqueceu-se de observar que o escritório em questão foi devidamente vistoriado e aprovado pelos técnicos da Seção Psicossocial da Vara de Execuções Penais de Brasília. O Juiz e o Ministério Público de Brasília aprovaram a fiscalização realizada.

A incoerência da decisão do Ministro Joaquim Barbosa é chocante, pois ele próprio nunca manifestou oposição ao trabalho externo que os demais condenados da AP 470 exercem há meses. É importante que o Supremo Tribunal Federal casse imediatamente esta decisão individual de seu Presidente para evitar um desastroso impacto no sistema penitenciário brasileiro, que terá que absorver, não apenas os presos da AP 470, mas todos os outros sentenciados que hoje exercem pacificamente o trabalho externo e caminham para a ressocialização.

Por fim, a decisão adotada pelo Ministro Joaquim Barbosa deixa claro, para aqueles que ainda podiam ter alguma dúvida, que o julgamento da Ação Penal 470 foi um lamentável ponto fora da curva.

José Luis Oliveira Lima e Rodrigo Dall’Acqua
Advogados de José Dirceu

15 comentários:

LRM disse...

Se fosse a Sheherazade, ela seria trucidada pelas milícias petistas e pela imprensa esquerdopata. Mas quando tem dedo do PT, tá tudo certo.

Veja,Sr. bond, o resultado do seu trabalho e de seus pares:

"PF identifica um dos autores de ameaças de morte a Barbosa
Homem que desejava atentar contra a vida do presidente o STF é um integrante da Comissão de Ética do PT".

Tanto trabalho de ódio e dano à imagem contra JB espalhado nas redes sociais petistas certamente acabaria levando a um crime. O único fato hilário na notícia acima é saber que o PT tem uma "comissão de Ética".

Quá quá quá quá quá quá quá quá . quá quá quá quá quá quá quá quá........sem fôlego de tanto rir.

Leiam mais: http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/pf-identifica-um-dos-autores-de-ameacas-de-morte-a-joaquim-barbosa

LRM disse...

Qualquer semelhança com as brigadas fascistas de Mussolini ou a juventude hitlerista não é mera coincidência. Isso serve de exemplo para o Sr. José Antônio, que gosta de trazer artigos do jornalista comunista Mauro Santayanna, como o último que tentou ridicularizar o fato cada vez mais inconteste de que fascismo e caomunismo são a mesma coisa:

"Desde que o julgamento do mensalão foi concluído, em novembro do ano passado, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, tornou-se alvo de uma série de constrangimentos orquestrados por seguidores dos petistas condenados por envolvimento no maior escândalo de corrupção da história. A chamada “militância virtual” do PT, treinada pela falconaria do partido para perseguir e difamar desafetos políticos do petismo na internet, caçou Barbosa de forma implacável. O presidente do Supremo sofreu toda sorte de canalhice virtual e foi até perseguido e hostilizado por patetas fantasiados de revolucionários nas ruas de Brasília. Os ataques anônimos da patrulha virtual petista, porém, não chegavam a preocupar Barbosa até que atingiram um nível inaceitável. Da hostilidade recorrente, o jogo sujo evoluiu para uma onda de atos criminosos, incluindo ameaças de morte e virulentos ataques racistas." (Robson Bonin - jornalista)

LRM disse...

Por falar em ditadura, há uma excelente entrevista do jurista Ives Gandra ao Programa do Jô sobre os planos da ditadura petista. Ele descreve, com uma didática impressionante, como a ditadura petista está sendo implantada, sem tanques e sem soldados, inspirada nos modelos cubanos e venezuelanos.

Um crime de lesa pátria que, ao final, vai levar o país a uma guerra civil. E vai ser tudo legal, vejam só.

https://www.youtube.com/watch?v=1tD3Y_TfjLw

BONDeblog S. O. disse...

Senhora Lucia

Se essa notícia for verdadeira, visto que, tudo que sai nessa Revista citada como fonte eu recebo com reservas, não creio de pronto e sem procurar confirmação, quem fez ameaças, deve responder por isso, deve ser processado e se confirmado a culpa punido como determina a LEI.

Eu não participo de nenhuma campanha organizada / orquestrada / pensada contra o Ministro Joaquim Barbosa. Eu critico e vou continuar criticando as condutas do Ministro, sempre que entender que ele é merecedor da crítica. Faço o mesmo em relação a outras personalidades da vida pública, sem nunca misturar a vida privada da pessoa. Sei separar a pessoa Joaquim Barbosa do Ministro Joaquim Barbosa.

Aqui, jamais desrespeitei, ofendi, caluniei ou fiz ameaças ou preguei qualquer tipo de movimento que atentasse contra a integridade física do Ministro. Nunca, aqui nesse espaço, houve da minha parte veiculação de proposta violentas contra o Ministro ou outra pessoa ou Instituição qualquer.

Quem disse que jogaria COQUETEL MOLOTOV NO CONGRESSO foi a senhora.

LRM disse...

"Quem disse que jogaria COQUETEL MOLOTOV NO CONGRESSO foi a senhora."
*************
Indivíduos que sequestram embaixadores, pegaram em armas, acusaram, julgaram e condenaram (à morte), além de praticarem assassinatos, têm hoje a sua reverência, não Sr. Bond?

Jogar Coquetel Molotov num Congresso corrupto, espúrio, composto basicamente por salafrários, traidores da pátria, criminosos e safardanas de baixo quilate, é algo pior?

BONDeblog S. O. disse...

Sim Dona Lucia, é algo pior, pois, se a senhora além da vontade concretizasse o fato, seria crime. Aliás, cuidado, pois só a forma como a senhora diz isso pode ser um complicador. Não avance no sentido de transformar essa sua BRAVATA, uma quimera infeliz, em algo que possa ser considerado, incitação ou ameaça.

Outra coisa senhora Lucia, nenhuma ação violenta além das de legítima defesa na proporção exata da necessidade, tem a minha a aceitação. Reverência à violência e aos violentos, NUNCA.

Nenhuma ação violenta, fora as motivadas por situação de grave privação dos sentidos tem a minha compreensão (não aceitação/justificativa) e a figura e beneplácito de atenuantes.

Os contra-revolucionários ao GOLPE de 1964 não são considerados criminosos, nem pelo Brasil nem pela ONU, visto que é legítimo lutar contra ditaduras de violentos e torturadores. Nesse limite, sem excessos, sem justiçamento, sem fazer pior do que contra quem, e o que se luta.

José Antônio disse...


"jornalista comunista Mauro Santayanna"

Só falta levar o Mauro Santayana para o pau de arara e "pedir" que ele diga se é comunista.

Foi assim que "suicidaram" o Herzog (Vlado).

Até onde eu sei, estamos em uma democracia e o fato do Mauro Santayana ser ou não comunista (e ele não é) não faz diferença nenhuma em seus direitos de expor as verdades.

Até nos estados Unidos, esta prática de fazer listagens de jornalistas, cineastas ou intelectuais comunistas, foi encerrada após os abuso enormes cometidos pelo macarthismo.

E já vão mais de 60 anos...

Querer reintroduzir isso no Brasil não nos surpreende. Se depender de alguns retornaremos aos tempos da escravidão, da colônia e até mesmo da idade média onde se queimavam bruxas e hereges em fogueiras.

As práticas de alguns não andam longe disso.

José Antônio disse...


Especialistas criticam interpretação restritiva da legislação por Barbosa

DE SÃO PAULO
10/05/2014 02h00

"Não há consenso entre especialistas sobre a decisão do presidente do Supremo, o ministro Joaquim Barbosa, de vetar o trabalho externo ao ex-ministro José Dirceu sob a alegação de que ele ainda não cumpriu um sexto da pena.

Alexandre Wunderlich, professor da PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica) e conselheiro federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), defende que o ministro fez uma interpretação muito restritiva da lei. "Joaquim Barbosa foi duro demais. Muitos Estados da Federação já admitem o trabalho externo no regime semiaberto antes do cumprimento de um sexto da pena."

A interpretação mais liberal da legislação decorre da falta de opções de trabalho dentro dos presídios, ainda segundo Wunderlich.

A lei diz que, antes do cumprimento de um sexto da pena, o trabalho deve ocorrer em "colônias agrícolas ou industriais", mas "o trabalho externo é admissível".

"Como os presídios não têm essas colônias, os juízes permitem o trabalho externo. Se estivesse no Rio Grande do Sul, Dirceu estaria no regime aberto ou com tornozeleira eletrônica porque não há vagas no regime semiaberto. Eu respeito a decisão do ministro, mas não concordo", afirma Wunderlich.

Segundo ele, a interpretação do presidente do Supremo viola dois dos princípios que regem o regime semiaberto: o senso de responsabilidade do detento e o direito à autodisciplina.

Christiano Fragoso, professor de direito penal da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), também critica a decisão de Barbosa.

"Se é para cumprir a lei, o Dirceu não deveria estar preso onde ele está", afirma, referindo-se ao fato de o presídio da Papuda não contar com colônia de trabalho.

Para Fragoso, "é lamentável" é que a lei só é aplicada para negar benefícios para os presos: "A maior parte dos presos têm seus direitos básicos desrespeitados de um modo estarrecedor. Não são considerados nem cidadãos"
.

Já Janaína Paschoal, professora de direito penal da USP, considera que a exigência de cumprimento de um sexto da pena até pode ser flexibilizada, mas não para os condenados pelo mensalão, por causa do desvio de recursos públicos, segundo ela.

"Uma interpretação mais benevolente do texto legal não pode ocorrer no caso da ação penal 470, na qual foram apurados crimes com sérios danos à sociedade. Seria um desrespeito."
"

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/05/1452342-especialistas-criticam-interpretacao-restritiva-da-legislacao-por-barbosa.shtml

BONDeblog S. O. disse...

José

Eu publiquei o link dessa matéria no rodapé do post sobre o assunto.

Um abraço

BONDeblog S. O. disse...

José

Eu publiquei o link dessa matéria no rodapé do post sobre o assunto.

Um abraço

José Antônio disse...


Valeu, Bond...

Foi desatenção da minha parte.

LRM disse...

PARA AS VÍTIMAS DA ESQUERDA, NÃO HÁ INDENIZAÇÃO. Como vocês sabem, eles não têm
AS VÍTIMAS INOCENTES DAS ESQUERDAS ANTES DO AI-5

1 – 12/11/64 – Paulo Macena, Vigia – RJ
Explosão de bomba deixada por uma organização comunista nunca identificada, em protesto contra a aprovação da Lei Suplicy, que extinguiu a UNE e a UBES. No Cine Bruni, Flamengo, com seis feridos graves e 1 morto

2 – 27/03/65- Carlos Argemiro Camargo, Sargento do Exército – Paraná
Emboscada de um grupo de militantes da Força Armada de Libertação Nacional (FALN), chefiado pelo ex-coronel Jeffersom Cardim de Alencar Osorio. Camargo foi morto a tiros. Sua mulher estava grávida de sete meses.

3 – 25/07/66 – Edson Régis de Carvalho, Jornalista – PE
Explosão de bomba no Aeroporto Internacional de Guararapes, com 17 feridos e 2 mortos. Ver próximo nome.

4 – 25/07/66 – Nelson Gomes Fernandes, almirante – PE
Morto no mesmo atentado citado no item 3. Além das duas vítimas fatais, ficaram feridas 17 pessoas, entre elas o então coronel do Exército Sylvio Ferreira da Silva. Além de fraturas expostas, teve amputados quatro dedos da mão esquerda. Sebastião Tomaz de Aquino, guarda civil, teve a perna direita amputada.

5 – 28/09/66 – Raimundo de Carvalho Andrade – Cabo da PM, GO
Morto durante uma tentativa de desocupação do Colégio Estadual Campinas, em Goiânia, que havia sido ocupado por estudantes de esquerda. O grupo de soldados convocado para a tarefa era formado por burocratas, cozinheiros etc. Estavam armados com balas de festim. Andrade, que era alfaiate da Polícia Militar, foi morto por uma bala de verdade disparada de dentro da escola.

6 – 24/11/67 – José Gonçalves Conceição (Zé Dico) – fazendeiro – SP
Morto por Edmur Péricles de Camargo, integrante da Ala Marighella, durante a invasão da fazenda Bandeirante, em Presidente Epitácio. Zé Dico foi trancado num quarto, torturado e, finalmente, morto com vários tiros. O filho do fazendeiro que tentara socorrer o pai foi baleado por Edmur com dois tiros nas costas.

7 – 15/12/67 – Osíris Motta Marcondes, bancário – SP
Morto quando tentava impedir um assalto terrorista ao Banco Mercantil, do qual era o gerente.

8 – 10/01/68 – Agostinho Ferreira Lima – Marinha Mercante – Rio Negro/AM
No dia 06/12/67, a lancha da Marinha Mercante “Antônio Alberto” foi atacada por um grupo de nove terroristas, liderados por Ricardo Alberto Aguado Gomes, “Dr. Ramon”, que, posteriormente, ingressou na Ação Libertadora Nacional (ALN). Neste ataque, Agostinho Ferreira Lima foi ferido gravemente, vindo a morrer no dia 10/01/68.

CONTINUA

LRM disse...

9 – 31/05/68 – Ailton de Oliveira, guarda Penitenciário – RJ
O Movimento Armado Revolucionário (MAR) montou uma ação para libertar nove de seus membros que cumpriam pena na Penitenciária Lemos de Brito (RJ) e que, uma vez libertados, deveriam seguir para a região de Conceição de Jacareí, onde o MAR pretendia estabelecer o “embrião do foco guerrilheiro”. No dia 26/05/68, o estagiário Júlio César entregou à funcionária da penitenciária Natersa Passos, num pacote, três revólveres calibre 38. Às 17h30, teve início a fuga. Os terroristas foram surpreendidos pelos guardas penitenciários Ailton de Oliveira e Jorge Félix Barbosa. Foram feridos, e Ailton morreu no dia 31/05/68. Ainda ficou gravemente ferido o funcionário da Light João Dias Pereira, que se encontrava na calçada da penitenciária. O autor dos disparos que atingiram o guarda Ailton foi o terrorista Avelino Brioni Capitani

10 – 26/06/68- Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP
No dia 26/06/68, Kozel atua como sentinela do Quartel General do II Exército. Às 4h30, um tiro é disparado por um outro soldado contra uma camioneta que, desgovernada, tenta penetrar no quartel. Seu motorista saltara dela em movimento, após acelerá-la e direcioná-la para o portão do QG. O soldado Rufino, também sentinela, dispara 6 tiros contra o mesmo veículo, que, finalmente, bate na parede externa do quartel. Kozel sai do seu posto e corre em direção ao carro para ver se havia alguém no seu interior. Havia uma carga com 50 quilos de dinamite, que, segundos depois, explode. O corpo de Kozel é dilacerado. Os soldados João Fernandes, Luiz Roberto Julião e Edson Roberto Rufino ficam muito feridos. É mais um ato terrorista da organização chefiada por Lamarca, a VPR. Participaram do crime os terroristas Diógenes José de Carvalho Oliveira, Waldir Carlos Sarapu, Wilson Egídio Fava, Onofre Pinto, Edmundo Coleen Leite, José Araújo Nóbrega, Oswaldo Antônio dos Santos, Dulce de Souza Maia, Renata Ferraz Guerra Andrade e José Ronaldo Tavares de Lima e Silva. Ah, sim: a família de Lamarca recebeu indenização. De Kozel, quase ninguém mais se lembra.

11 – 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – civil – RJ
Morto com um tiro no coração em conflito na rua. Estudantes distribuíam, no Largo de São Francisco, panfletos a favor do governo e contra as agitações estudantis conduzidas por militantes comunistas. Gessé Barbosa de Souza, eletricista e militante da VPR, conhecido como “Juliano” ou “Julião”, infiltrado no movimento, tentou impedir a manifestação com uma arma. Os estudantes, em grande maioria, não se intimidaram e tentaram segurar Gessé que fugiu atirando, atingindo mortalmente Noel de Oliveira Ramos e ferindo o engraxate Olavo Siqueira.

12- 27/06/68 – Nelson de Barros – Sargento PM - RJ
No dia 21/06/68, conhecida como a “Sexta-Feira Sangrenta”, realizou-se no Rio uma passeata contra o regime militar. Cerca de 10.000 pessoas ergueram barricadas, incendiaram carros, agrediram motoristas, saquearam lojas, atacaram a tiros a embaixada americana e as tropas da Polícia Militar. No fim da noite, pelo menos 10 mortos e centenas de feridos. Entre estes, estava o sargento da PM Nelson de Barros, que morreu no dia 27.

CONTINUA

LRM disse...

13 – 01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – major do Exército Alemão – RJ
Morto no Rio, onde fazia o Curso da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Assassinado na rua Engenheiro Duarte, Gávea, por ter sido confundido com o major boliviano Gary Prado, suposto matador de Che Guevara, que também cursava a mesma escola. Autores: Severino Viana Callou, João Lucas Alves e um terceiro não-identificado. Todos pertenciam à organização terrorista COLINA- Comando de Libertação Nacional.

14 – 07/09/68 – Eduardo Custódio de Souza – Soldado PM – SP
Morto com sete tiros por terroristas de uma organização não identificada quando de sentinela no DEOPS, em São Paulo.

15 – 20/09/68 – Antônio Carlos Jeffery – Soldado PM – SP
Morto a tiros quando de sentinela no quartel da então Força Pública de São Paulo (atual PM) no Barro Branco. Organização terrorista que praticou o assassinato: Vanguarda Popular Revolucionária. Assassinos: Pedro Lobo de Oliveira, Onofre Pinto, Diógenes José Carvalho de Oliveira, atualmente conhecido como “Diógenes do PT”, ex-auxiliar de Olívio Dutra no Governo do RS.

16- 12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos Estados Unidos – SP
Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP. No início de outubro de 68, um “Tribunal Revolucionário”, composto pelos dirigentes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari), João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Maneco) e Ladislas Dowbor (Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele “seria um agente da CIA”. Os levantamentos da rotina de vida do capitão foram realizados por Dulce de Souza Maia (Judite). Quando retirava seu carro das garagem para seguir para a Faculdade, Chandler foi assassinado com 14 tiros de metralhadora e vários tiros de revólver, na frente da sua mulher, Joan, e de seus 3 filhos. O grupo de execução era constituído pelos terroristas Pedro Lobo de Oliveira (Getúlio), Diógenes José de Carvalho Oliveira (Luis, Leonardo, Pedro) e Marco Antônio Bráz de Carvalho (Marquito).

17 – 24/10/68 – Luiz Carlos Augusto – civil – RJ
Morto, com 1 tiro, durante uma passeata estudantil.

18 – 25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – civil – RJ
Morto, com quatro tiros de pistola Luger 9mm durante o roubo de seu carro, na avenida 28 de Setembro, Vila Isabel, RJ. Autores: Murilo Pinto da Silva (Cesar ou Miranda) e Fausto Machado Freire (Ruivo ou Wilson), ambos integrantes da organização terrorista COLINA (Comando de Libertação Nacional).

19 – 07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP
Morto pelos terroristas Ioshitame Fugimore, Oswaldo Antônio dos Santos e Pedro Lobo Oliveira, todos integrantes da Vanguarda Popular Revolucionária(VPR), quando roubavam seu automóvel na esquina das ruas Carlos Norberto Souza Aranha e Jaime Fonseca Rodrigues, em São Paulo.

BONDeblog S. O. disse...

Senhora Lucia

Muitas dessas informações que a senhora traz, podem ter a mesma credibilidade e veracidade das que informaram sobre o atentado do RIO CENTRO. Se a BOMBA não tivesse explodido no colo dos dois militares, e o crime que eles a mando de seus superiores tivesse tido êxito, provavelmente hoje a senhora estaria publicando: X MORTOS em Atentado no Rio Centro com bomba colocada pelo MR8 ou VLR.

Nenhum militar que não participou de torturas e execuções, ou sumiu com corpos, é apontado e processado pela sua atuação à época da ditadura. O crime nesse período, se prende exclusivamente aos atos de tortura, execução e ocultação de cadáver. Mortos nessa guerra suja em confrontos ou em ações dos ambos os lados, já prescreveram.

Em nome das famílias desses todos que a senhora relaciona, em nome deles próprios, em nome da VIDA E O RESPEITO QUE DEVEMOS TER POR ELA, em nome do respeito à DEMOCRACIA e PAZ, sem GOLPES e sem ARBÍTRIO, o seu cometário, ainda que com uma conotação fora do sentido histórico e verdadeiro, fica publicado.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS