terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

DURA PORTA DOS FUNDOS - FÁBIO PORCHAT RECEBE AMEAÇAS DE MORTE - VÍDEO ESCULACHA POLICIAIS MILITARES

ISSO NÃO É HUMOR - NEM MESMO PODE SER CONSIDERADO UMA CRÍTICA


Mas, ameaças de morte são inaceitáveis.

O humorista ?? Fábio Porchat, do site Porta dos Fundos, afirma que tem recebido ameaças de morte, apos postagem de vídeo, em que POLICIAIS MILITARES são alvo de um deboche e achincalhe inaceitáveis. Segundo os responsáveis pelo site Porta dos Fundos, o vídeo "humorístico" ?? é uma critica ao policial corrupto e não à Polícia Militar como instituição.

Não senhores do PORTA DOS FUNDOS. O vídeo não é humorístico, o vídeo é apelativo, é de busca de audiência fácil através da abordagem menor e irresponsável de um problema grave, que é a corrupção policial. 

O vídeo não pode nem mesmo ser considerado uma crítica aos policiais corruptos. O vídeo é uma execração pública de toda uma classe profissional, e atinge muito mais aos policiais corretos do que aos corruptos. A quem e a que serve, essa investida na desmoralização do Policial Militar ?

Vivemos tempos difíceis, em que a comunicação tem sido mal utilizada, e muitos não tem um minimo de ética, respeito, bom senso, e saem por aí atropelando a tudo e a todos em busca de alguns minutos de fama, de sucesso, seguidores e dinheiro. A Internet tem sido palco das manifestações mais baixas e grosseiras por parte de indivíduos ou grupos que agridem, ofendem, atacam, desonram, caluniam e espalham todo tipo de mensagem destrutiva e venenosa. Esse vídeo tem um potencial imenso de gerar diversas situações de confronto com consequências imprevisíveis. Vai ser "jogado na cara" dos policiais até em discussão de vizinhos.

Atenção - O vídeo tem palavrão do início ao fim e uma mensagem imprópria para crianças


O humorista ?? Fábio Porchat conseguiu por certo muitas visualizações para seu vídeo. Agora que anuncia estar sendo ameaçado de morte a "audiência" do site vai aumentar. A questão é: A que preço ?

As Associações que reúnem policiares militares devem agir na Justiça contra o humorista e o site que produziu e apresentou o vídeo de péssimo gosto. O governo do Estado do Rio deveria da mesma forma agir, visto que a farda oficial da PM, uma réplica de viatura, e a bandeira do Estado do Rio aparecem, atingindo assim de forma direta, não ao policial corrupto, mas sim, a INSTITUIÇÃO PM do Rio e seus integrantes. Da mesma forma, Associações e governo, devem condenar todas as manifestações violentas e ameaças contra o humorista ??

Um vídeo de Merd@, ( esse é um termo leve diante da mensagem ofensiva que apresenta), deve ser contestado pelas vias legais. Qualquer punição só pode vir pelos meios legais.

Não se admite que qualquer ato violento seja praticado contra o humorista, que deveria pensar bem antes de fazer "graça" com a dignidade alheia, mas nem por isso pode sofrer fisicamente qualquer tipo de retaliação.

17 comentários:

José Antônio disse...

Caro amigo Bond,

Esta é uima das raras ocasiões em que não posso deixar de discordar do amigo.

Achei o sketch super-criativo ao fazer a inversão dos papéis.

Infelizmente, não dá mais para dizer que a a INSTITUIÇÃO PM do Rio é a vítima de poucos e maus policiais, ou de sua banda podre.

A PM, como instituição, ainda está cheia de vícios adquiridos nos tempos da ditadura.

Se a PM quiser ganhar o respeito da população ela precisa fazer muito. Para começar mudar toda a sua estrutura. Se há policiais bandidos na corporação é por que ela os atrai. E ela não é capaz de fazer uma seleção adequada.

Reconheço que os salários são baixos, mas isso não justifica todas as barbaridades cometidas contra o cidadão comum.

Reconheço também que o buraco é maix embaixo, ou melhor, mais em cima. A responsabilidade por isso tudo é do Governador.

Mas a PM do Rio não está só. Poucas são as demais PMs estaduais em que os abusos não são cometidos de forma frequente.

Que os PMS, ao invés de ameaçarem o "Porta dos Fundos" reflitam e sintam como é bom ser um cidadão parado por uma blitze "policial".

Está mais do que na hora de mudarmos os métodos de nossa polícia, totalmente ineficiente, agressiva com os cidadãos, e na maior parte das vezes, corrupta, sim.

E tentando responder a sua pergunta, Bond: "A quem e a que serve, essa investida na desmoralização do Policial Militar?"

Na minha opinião, serve à grande maioria da população que está cansada de ser tratada como bicho por parte dos integrantes dessa corporação, ainda habituados aos tempos da ditadura.

Serve à uma conscientização de que assim como está não pode ficar.

Gostei do vídeo.

H.P. disse...

O QUE É ISSO? O QUE É ESSE LIXO?
É a famosa "liberdade" de expressão que a DIREITA MIDIATICA DEFENDE?
Se esses TRABALHADORES, atenção, TRA-BA-LHA-DO-RES POLICIAIS, em sua IMENSA MAIORIA DECENTES, HONESTOS, PAIS E MÃES DE FAMÍLIA EXEMPLARES, atuando sempre no "fio da navalha" ERRAM, são criticados por todos e com razão. E tem que ser assim. Mas, fazer essa BARBARIDADE, ESSA IMBECILIDADE, É INACEITÁVEL! INACEITÁVEL!
OS POLICIAIS TEM LEIS A SEGUIR e, com certeza, AS SEGUEM. Uma MINORIA, MI-NO-RIA, não faz isso e, quase sempre são punidos. E esses cidadãos, que não são humoristas nem aqui nem em lugar algum, TEM LEIS A SEGUIR? Podem mostrar essa violência toda, JOGANDO AINDA MAIS A POPULAÇÃO CONTRA DEZENAS E DEZENAS DE MILHARES DE SERES HUMANOS, OS POLICIAIS, sem responderem a PROCESSO ALGUM?
É a famigerada "liberdade" de expressão? Ou é a liberdade de atacarem, de mentirem, de deturparem, DE HUMILHAREM A TUDO E A TODOS, ISSO É UMA HUMILHAÇÃO INACEITÁVEL, SEM RESPONDEREM, NA JUSTIÇA, POR ISSO?
Essa é a tal "LIBERDADE" DE EXPRESSÃO QUE ELES DEFENDEM.
Ao governo estadual/federal, NINGUEM MAIS QUER O TAL "CONTROLE" REMOTO. Querem LEIS PARA COIBIR ESSE TIPO COVARDE DE ATAQUE.
Ao amigo Sr. Bond, ainda que este comentário seja repetitivo, reafirmando muito do que o Sr. já falou/postou, ficará, com sua licença, desta forma mesmo, pois a "bronca" é muito grande. ISSO É UMA BESTIALIDADE INACEITÁVEL.

José Antônio disse...

Bem... estou em minoria, aqui.

Espero, entretanto que saibamos todos debater civilizadamente nossas divergências de opiniões.

Mudando de assunto:

Do bloc, digo, do blog, do Merval, hoje:

"
Manifestações contra ou a favor de alguém ou alguma coisa são próprias da democracia, mas dentro da lei e da ordem. Do jeito que estão sendo feitas desde junho, com uma escalada de violência, não é aceitável de maneira alguma.

(...)

Pelo relato do acontecido vê-se que o ambiente político está totalmente desequilibrado, graças a setores da sociedade e partidos políticos que avalizam as agressões dos black-blocs como manifestações legítimas, quando elas são a negação da democracia.
"

Os grifos são meus.

Não sei não, mas acho que, em ato falho, Merval deve estar se referindo aos setores do PIG que andaram chamando para as ruas a turma da kombi e que andaram estimulando os atos de vandalismo dos blocs. Por ser pequena demais, para promover qualquer marolinha, a turma da kombi acabou apelando para "seus companheiros", adeptos do quebra-quebra. Agora constatam que abriram a garrafa de onde saiu o gênio do fascismo.



H.P. disse...

Ao amigo Sr. José Antonio, com toda certeza. A sua opinião é sempre de muita respeitabilidade, ainda que contrária.
Mas, mais de quatro milhões de pessoas que viram esse LIXO absurdo. Basicamente, quase todos, "aplaudindo" essa palhaçada, nunca humor, CONTRA OS POLICIAIS. No entanto, esses COXINHAS DESPOLITIZADOS que APLAUDEM ESSA LATRINA DOS FUNDOS, são os mesmo que desejam que a policia MATE, ESFOLE, DE CACETADA, ATIRE NA CABEÇA de qualquer "bandido" apontados, como tal, pelos imbecis da RECORD, DA BAND e de outros lixos iguais. Esses COXINHAS DESPOLITIZADOS, E SEGUIDORES DESSA DIREITA MIDIATICA SANGUINÁRIA, agem e pensam dessa forma DEFORMADA. ELES SÃO O EFEITO COLATERAL. ELES SÃO O SUB-PRODUTO DESSE ESGOTO MIDIATICO.

José Antônio disse...

Valeu, H.P.

Hoje nós temos aqui, a expressão de opiniões divergentes e que serão debatidas de forma a não achincalhar o oponente.

D. Lucia não deve estar habituada a isso e, neste momento, deve estar pensando para que lado deve dar o seu apoio. Deve dar um nó em sua cabeça a possibilidade de um debate de ideias e não briga de sarjeta e arquibancadas entre torcidas de futebol.

Aposto que o comentário de D. Lucia será contra... o PT. Claro. Entre o azul e o amarelo, D. Lucia sempre escolhe ser contra o PT.

Achei um artigo muito interessante do Janio de Freitas, hoje na Folha. Por ser extenso tentarei reproduzí-lo no comentário subsequente.

BONDeblog S. O. disse...

José

A população é bastante consciente das falhas da PM, visto que em vários momentos sofre com isso. Todos sabemos que existe corrupção na PM, na Polícia Civil, na Federal, assim como existe corrupção em tudo, ou praticamente em tudo.

Mas, o referido vídeo, pode até ser criativo ao "inverter os papéis", porém, caímos aí na mesma armadilha de que TODO POLÍTICO É CORRUPTO, TODO SÍNDICO É LADRÃO...

Depois, tem o seguinte, essa é a Polícia que temos, então, é necessário combater seus erros sem esculáchos generalizantes.

Se eu fosse um PM corrupto, estaria rindo, se fosse um PM honesto, estaria me sentindo profundamente agredido e desmotivado.

Na transição que a PM precisa fazer, é preciso retirar os maus e os vícios que os incentivam e alimentam, sem arrasar com os bons.

O amigo imagina o que aconteceria comigo, se eu fizesse um vídeo, invertendo os papéis de um juiz corrupto que cobra para julgar de uma certa forma ?

A crítica é válida, mas, não a desmoralização e achincalhe.

Grande abraço

José Antônio disse...

Um Amarildo sem polícia

Jânio de Freitas

11/02/2014 03h00

Um fato, dois aspectos: a agressão homicida a uma pessoa e o ataque a um repórter por sua atividade. Misturar os dois aspectos é ruim para ambos e péssimo para a sociedade.

A razão que levou Fábio Raposo Barbosa a se apresentar à polícia, por conselho de um advogado, é perceptível: está no seu braço. Ao usar manga comprida em sua apresentação à polícia, ele quis, e conseguiu, que ninguém prestasse atenção no seu braço, ali ou depois. O braço já dizia tudo a seu respeito. Sua agressividade já se expõe no tipo de imagem escolhido para tatuar-se: arma, punhal e lâmina de ataque. Estavam à vista no dia da baderna e terminariam por ser observadas para a busca de identificá-lo. Melhor apresentar-se com uma ficção e tatuagens à vista.

O disparo do rojão foi muito esclarecedor da índole criminosa que muitos ainda negam ao "black bloc", use ou não esse nome. As imagens móveis mostram que Fábio e seu comparsa caminham em direção determinada, não ao acaso. O segundo avança para depositar o rojão em certo lugar do solo. E, é nítido, ajeita-o para ficar precisamente assim: em direção a uma pessoa de pé, sozinha, tão desprevenida que nem percebe o que se passa ali -está de costas, e é para suas costas que aponta o artefato conduzido por Fábio Raposo e apontado por seu comparsa.

Uma poderosa bomba de fogo e som em velocidade fulminante, dirigida, deliberadamente, contra uma pessoa indefesa. "Não havia a intenção de matar". E precisaria haver? O que foi decidido fazer, o que foi feito, como foi feito e por que foi feito dispensava qualquer consideração sobre consequências.

Um Amarildo sem a PM. Foi esse o primeiro aspecto.

(Continua...)

José Antônio disse...

(Continuação)

Passa-se com a minoria, mas faz parte da profissão de jornalista estar onde, por segurança, não deveria; meter-se com assunto que atrai problemas não controláveis; escrever na contramão da conveniência. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo registra 117 incidentes sofridos por repórteres, fotógrafos e cinegrafistas desde que manifestações degeneraram sob a ação de arruaceiros violentos. O número é alto demais. Mas não haveria muito o que fazer para que fosse significativamente menor.

A violência que coube nas telas das pouquíssimas TVs que a mostraram foi muito menor do que a violência real (o mesmo ocorre com a bandidagem das "torcidas" de futebol). Capacete, colete protetor, a indumentária individual atenua um ou outro incidente, e só. Entidades de jornalistas ontem procuravam encontro com o ministro da Justiça, para pedir proteção ao trabalho de jornalistas. A proteção que governos podem dar é cerceadora do jornalismo, com espaços designados para estarem, ou policiais a acompanhar grupos limitando-lhes a escolha de direções e movimentos, nada que combine maior segurança e bom jornalismo. Onde e quando foi tentado, deu errado.

O número anotado pela Abraji vem, no entanto, de mais que da vulnerabilidade dos jornalistas. Vem de uma intenção que agora eliminou qualquer dúvida a respeito. Santiago Andrade não se tornou vítima por acaso. O escolhido da dupla de marginais foi o repórter, cinegrafista, jornalista. Que oferecia, sozinho, de costas, o momento perfeito para os dois tipos facinorosos. Nem sabiam quem era, para quem trabalhava, o que pensava. Era um repórter-cinegrafista, e então devia ser a vítima do explosivo levado exatamente para um ato facinoroso, qualquer ato facinoroso com qualquer consequência.

Uma pessoa, não importa quem, foi assassinada por arruaceiros que se valem de manifestações a serem pacíficas. Violência tão claramente deliberada, que apaga toda dúvida remanescente sobre a necessidade de providências contra crimes a título de manifestações democráticas.

Um repórter foi assassinado na ação profissional de registrar uma arruaça que tende a reproduzir-se, como anunciado em vários Estados. Uma tragédia anterior levou à melhoria de condutas e possíveis proteções para as coberturas de risco. É ocasião de avançar nessa linha, de jornalistas para jornalistas.

Misturar os dois aspectos cria muita emoção e pouco resultado para o que a sociedade precisa.

José Antônio disse...


Caro Bond:

"A crítica é válida, mas, não a desmoralização e achincalhe.

Concordo em termos. Mas é que estamos cansados de sermos desmoralizados e achincalhados pela... PM.

E, se a população tiver o mesmo sentimento de desmoralização e achincalhamento em relação a prestadoras de serviçõs de telecomunicações, planos de saúde, bancos, juízes, advogados, médicos, e outras entidades que ajem de forma desrespeitosa com a população, acho que são válidas as paródias e as manifestações que, na minha opinião, não são ofensivas e, em hipoótese alguma atingem os profissionais corretos.

José Antônio disse...

Amigo Bond,

Retornando ao seu questionamento:

"A quem e a que serve, essa investida na desmoralização do Policial Militar?

Acima, procurei mostar a quem pode servir: à população cansada de ser desmoralizada e achincalhada por esta instituição, ainda impregnada dos vícios adquiridos durante o regime militar.

Vou tentar, agora, mostrar a quem não serve este vídeo.

Trata-se de artigo publicado, hohe, na Falha de S. Paulo, pela agora tristemente famosa Sheherazade.

Como não irá caber aqui, farei, como fiz acima com o artigo do Janio de Freitas.

Aliás, faltou o link para o artigo do Janio de Freitas acima:

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/janiodefreitas/2014/02/1410323-um-amarildo-sem-policia.shtml

Segue abaixo o artigo da Sheherazade que, na minha opinião é extremamente demonstrativo e didático de como nossa classe dominante compactua com os desmandos de nossa polícia e ainda pede mais:

José Antônio disse...

Rachel Sheherazade: Ordem ou barbárie?

11/02/2014 03h00

O fenômeno da violência é tão antigo quanto o ser humano. Desde sua criação (ou surgimento, dependendo do ponto de vista), o homem sempre esteve dividido entre razão e instinto, paz e guerra, bem e mal.

Há quem tente explicar a violência, a opção pela criminalidade, como consequência da pobreza, da falta de oportunidades: o homem fruto de seu meio. Sem poder fazer as próprias escolhas, destituído de livre-arbítrio, o indivíduo seria condenado por sua origem humilde à condição de bandido. Mas acaso a virtude é monopólio de ricos e remediados? Creio que não.

Na propaganda institucional, a pobreza no Brasil diminuiu, o poder de compra está em alta, o desemprego praticamente desapareceu... Mas, se a violência tem relação direta com a pobreza, como explicar que a criminalidade tenha crescido em igual ou maior proporção que a renda do brasileiro? Criminalidade e pobreza não andam necessariamente de mãos dadas.

Na semana passada, a violência (ou a falta de segurança) voltou ao centro dos debates. O flagrante de um jovem criminoso nu, preso a um poste por um grupo de justiceiros deu início a um turbilhão de comentários polêmicos. Em meu espaço de opinião no jornal "SBT Brasil", afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio.


(continua...)

José Antônio disse...


(Continuação...)

Embora não respalde a violência, a legislação brasileira autoriza qualquer cidadão a prender outro em flagrante delito. Trata-se do artigo 301 do Código de Processo Penal. Além disso, o Direito ratifica a legítima defesa no artigo 23 do Código Penal.

Não é de hoje que o cidadão se sente desassistido pelo Estado e vulnerável à ação de bandidos. Sobra dinheiro para Cuba, para a Copa, mas faltam recursos para a saúde, a educação e, principalmente, para a segurança. Nos últimos anos, disparou o número de homicídios, roubos, sequestros, estupros... Estamos entre os 20 países mais violentos do planeta. E, apesar das estatísticas, em matéria de ações de segurança pública, estamos praticamente inertes e, pior: na contramão do bom senso!

Depois de desarmar os cidadãos (contrariando o plebiscito do desarmamento) e deixá-los à mercê dos criminosos, a nova estratégia do governo, por meio do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, é neutralizar a polícia, abolindo os autos de resistência.

Na prática, o policial terá que responder criminalmente por toda morte ocorrida em confronto com bandidos. Em outras palavras, é desestimular qualquer reação contra o crime. Ou será que a polícia ousará enfrentar o poder de fogo do PCC (Primeiro Comando da Capital) ou do CV (Comando Vermelho) munida apenas de apitos e cassetetes?

Outra aliada da violência nossa de cada dia é a legislação penal: filha do "coitadismo" e mãe permissiva para toda sorte de criminosos. Presos em flagrante ou criminosos confessos saem da delegacia pela porta da frente e respondem em liberdade até a última instância.

No Brasil de valores esquizofrênicos, pode-se matar um cidadão e sair impune. Mas a lei não perdoa quem destrói um ninho de papagaio. É cadeia na certa!

O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), o Estatuto da Impunidade, está sempre à serviço do menor infrator, que também encontra guarida nas asas dos direitos humanos e suas legiões de ONGs piedosas. No Brasil às avessas, o bandido é sempre vítima da sociedade. E nós não passamos de cruéis algozes desses infelizes.

Quando falta sensatez ao Estado é que ganham força outros paradoxos. Como jovens acuados pela violência que tomam para si o papel da polícia e o dever da Justiça. Um péssimo sinal de descontrole social. É na ausência de ordem que a barbárie se torna lei.

RACHEL SHEHERAZADE, 40, jornalista pela Universidade Federal da Paraíba, é âncora do telejornal "SBT Brasil"


Os negritos, Bond, são meus. Como você pode constatar, procurei selecionar os trechos nos quais a ideologia do mata-esfola e que dá apoio a uma polícia truculenta e corrupta, transparece claramente.

Significativamente, quase não restaram trechos sem negrito.

José Antônio disse...


O link para o artigo da Sheerazade:

http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2014/02/1410284-rachel-sheherazade-ordem-ou-barbarie.shtml

BONDeblog S. O. disse...

José

A moça se contradiz:

Embora não respalde a violência, a legislação brasileira autoriza qualquer cidadão a prender outro em flagrante delito. Trata-se do artigo 301 do Código de Processo Penal. Além disso, o Direito ratifica a legítima defesa no artigo 23 do Código Penal.

O que aconteceu com esse adolescente foi um ATO DE VIOLÊNCIA que a Legislação brasileira NÃO RESPALDA.

Desde quando, conforme a moça tenta fazer crer, prender ao poste pelo pescoço, após aplicar surra e deixar despido, ir embora sem chamar a polícia e entregar o preso em suposto flagrante delito, é ATO DE LEGÍTIMA DEFESA ?

José Antônio disse...


Claro, Bond.

A moça se contradisse em todo o texto.

Foi por isso que eu deixei em negrito todas as suas contradições.

Infelizmente foram tantas que sequer me dei ao trabalho de contestá-la, uma a uma.

José Antônio disse...

Segue a opinião de um psiquiatra:

http://blogs.estadao.com.br/daniel-martins-de-barros/so-rindo/

José Antônio disse...

"O vice-líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), relatou nesta segunda-feira, em plenário, ter sido procurado pelo pai do humorista, o ex-deputado federal Fábio Porchat. O ex-parlamentar pediu-lhe ajuda para apurar a origem das mensagens de ameaça contra o humorista. Em um dos comentários no blog, um leitor sugere que se metralhe Porchat.

Em carta do pai do humorista, lida pelo senador tucano, é relatado que dois ministros de Estado pediram para diminuir o tom das críticas, no que o ex-deputado rebateu dizendo que tem orgulho da postura. "É uma reação às criticas, aos esquetes que ele postou", disse o vice-líder tucano ao ''Broadcast Político'', serviço de notícias em tempo real da ''Agência Estado''.
Álvaro Dias cobrou a adoção de providências de autoridades para apurar as ameaças. A Mesa do Senado determinou o envio de um pedido de recomendação ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que as autoridades policiais ofereçam segurança ao humorista.

Outra sugestão é pedir à Comissão de Direitos Humanos do Senado que peça a investigação do Blog do Soldado. Uma terceira ideia é pedir para o Google, página da internet onde está hospedado o blog, que apure as violações de "direitos humanos e práticas criminosas" cometidas contra o humorista.
"

http://www.estadao.com.br/noticias/arte-e-lazer,familia-de-porchat-vai-ao-senado-para-investigar-ameacas-contra-o-humorista,1128910,0.htm

Bem... tirando o fato de o procurado pela família ser Álvaro Dia, o resto deve ser considerado com atenção redobrada.

Se a PM não fosse truculenta, como aliás mostra o sketch, esse tipo de ameaça sequer deveria ser proferida.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS