sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

RODOVIA DO PARQUE - BR-448 - RS - É INAUGURADA COM A PRESIDENTE DILMA ROUSSEFF CRITICANDO PEDÁGIO EM VIAS URBANAS

O ABSURDO de se cobrar PEDÁGIO em áreas URBANAS é cometido, por exemplo, na Cidade do Rio de Janeiro, onde a Chamada LINHA AMARELA cobra NOS DOIS SENTIDOS DA VIA - que liga a Barra da Tijuca com a Zona Norte da Cidade. A ideia e imoralidade partiu do ex-prefeito Cesar Maia, cujo discípulo, Eduardo Paes, promete fazer o mesmo em outra via a TRANSALGUMACOISA - que vai ligar a Barra com o Aeroporto do Galeão. Nesses casos, a JUSTIÇA ?? nada faz, permite, se omite, e arrasta decisões visando parar com essa ilegalidade.


BR 448 É IMPORTANTE OBRA DO PAC - Vai dar mais conforto e segurança na região próxima de Porto Alegra - RS

Não é correto “pedagiar” estradas em áreas urbanas, destaca Dilma
20/12/2013 -
Política - 
Danilo Macedo - 
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (20), durante a inauguração da BR-448, no Rio Grande do Sul, que não é correto cobrar pedágio em estradas localizadas em áreas urbanas e metropolitanas, principalmente quando são estratégicas.

"Você não pode pedagiar o deslocamento dentro da sua casa, você não pode pedagiar o deslocamento dentro do seu bairro, o deslocamento entre o seu trabalho e a sua casa, entre sua faculdade e sua casa, entre os locais que você tem acesso até para exercer a condição mais elementar de vida", disse a presidenta durante a inauguração, em Canoas.

Inaugurada hoje, a BR-448, ou Rodovia do Parque, como é conhecida, liga o município de Sapucaia do Sul a Porto Alegre. Ela tem 22,3 quilômetros de extensão, faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e custou R$ 1,3 bilhão. A expectativa do governo federal é que a BR-448 absorva 40% do fluxo de veículos que trafegam pela BR-116, estimado em 160 mil veículos por dia. Atualmente é a única rota para atravessar várias cidades na região metropolitana de Porto Alegre.

“Diminuindo o fluxo na BR-116 poderemos fazer intervenções, recuperar e investir em melhorias de segurança e de tráfego. Em pouco tempo, teremos as duas vias com uma capacidade muito melhor”, disse Dilma. Além disso, a presidenta assumiu o compromisso de dar continuidade à BR-448, com a construção de 32 quilômetros entre Sapucaia e Estância Velha e assinou Ordem de Serviço para dois trechos da BR-290.

A BR-448 deve melhorar a situação de vida de aproximadamente 160 mil estudantes de nove universidades que deverão usar a rodovia para se deslocar de carro para a faculdade. A rodovia tem dez viadutos, três pontes, sendo uma delas estaiada sobre o Rio Gravataí, com 268 metros de extensão e 63 metros de altura, ligando Canoas a Porto Alegre. De acordo com o governo, foram gerados 2,7 mil empregos diretos e indiretos desde o início das obras, em 2009.

Edição: Talita Cavalcante//Título alterado às 13h10 para esclarecer informação.
Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias, é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

7 comentários:

lucia Ramos Moreira disse...

Dilma devia é criticar os buracos e a falta de manutenção das estradas federais, causadores de boa parte dos acidentes fatais, ao invés de praticar demagogia.

José Antônio disse...

Demagogia comete quem faz o comentário acima.

Além de ser um comentário estúpido que demonstra falta do que fazer a não ser vir aqui falar qualquer asneira contra Lula/Dilma/PT.

A quantidade de buracos cegou quase ao infinito durante o reinado, irresponsável, de fêagáDeus. Toda obra de construção e manutenção de estradas era paralisada inúmerass vezes por causas dos cortes abruptos no orçamento, definidas pelo FMI, a cada crise.

Quanto custou aos cofres públicos essas paralizações. Deslocavam-se máquinas e operários para o local e dois mêses depois abandonava-se a obra. A empreiteira exigia ser resarcida pelos prejuízos, com dinheiro público, naturalmente.

Dpois, meses ou anos, mais tarde, o ciclo recomeçava.

É só comparar o estado atual as nossas rodovias com o estado herdado em 2002.

Não é muito difícil fazer isso: inclusive com a ajuda de uma conhecida publicação da editora abril que declino em falar o nome para não fazer publicidade.

José Antônio disse...

Corrigindo:

A quantidade de buracos cHegou quase ao infinito durante o reinado, irresponsável, de fêagáDeus. Toda obra de construção e manutenção de estradas era paralisada inúmerass vezes por causas dos cortes abruptos no orçamento, definidas pelo FMI, a cada crise.

lucia Ramos Moreira disse...

É verdade Sr. Josë Antônio,

Havia me esquecido que o Brasil foi fundado em 2003 pelo PT.

Também me esqueci que as estradas só melhoraram depois da privatização. Saia do RJ até Belo Horizonte e veja como a estrada decente termina quando a rodovia privatizada acaba. O trecho decente e seguro fica entre o RJ e Juiz de Fora.

José Antônio disse...

Pegue, D. Lucia, o mapa daquela editora, e veja a estrada Rio Belo Horizonte, antes de 2003.

Veja se o trecho Rio-Belo Horizonte, citado pela senhaora estava duplicado?

Pois, é, D. Lucia, este trecho do qual a senhora reclama, foi duplicado em pouco tempo pelo primeiro governo Lula.

Como ele era antes e como é agora? Pode ser que ainda não seja "decente" tal como a senhora diz. Pode ser que ainda não tenha atingido o mesmo grau de qualidade do que o trecho Rio-Juiz de Fora, bem mais antigo, inclusive anterior ao reinado de fêagáDeusMeLivre.

Trata-se, sem dúvida de uma grande obra. E, como toda grande obra, necessita de um tempo para ser concluída, com todas as suas caracterrísticas. Mas, D. Lucia, justamente desse trecho a senhora não pode reclamar. A obra avançou bastante desde então. Roma não foi feita em 1 dia.

Se a senhora tiver curiosidade (eu tenho) pegue todas as edições do mapa rodoviário daquela editora e compare a evolução da malha.

A senhora verá que a quantidade de rodovias "prontas" e "esfaltadas", mas intransitáveis pela buraqueira causada ´ela tremenda falta de manutenção, diminuiu consideravelmente. Elas estão marcadas em "marrom" e cobertas por xxxxx. É muito fácil encontrá-las nos mapas mais antigos.

No reinado de fêagáDeusMeLivre, essas estradas passavam anos na condição de "intransitáveis". Hje, elas estão sendo recuperadas ao tráfego. Hoje, uma ou outra estrada entra na condição de "intransitável" devido às chuvas, mas em pouco tempo retornam ao normal.

Hoje há manutenção. Hoje há criação e duplicação de novas estradas. Evidentemente, o Brasil necessita de muito mais. E é isso que os governos que sucederam FêagáDeusMeLivre estão fazendo.

Inclusive, D. Lucia, recuperando nossa malha ferrioviária. Criminosamente extinta entre os governos militares e o de FêagáDeusMeLivre.


Anônimo disse...

Pergunta pra essa tal Lucia: Quantos centímetros de estradas federais foram feitas ou recuperadas nos 8 anos do Boca de Sovaco?

Anônimo disse...

Para esse anonimo acima: Cara...pegou pesado. Em centímetros? Desse jeito, nem a Lucia vai conseguir responder (sem gaguejar nos dedos, tipo a Urubóloga), já que a resposta foi nenhum.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS