domingo, 1 de dezembro de 2013

MAIS MÉDICOS - O JEITO HUMANO DO DR. CUBANO SER - É NISSO QUE ESTÁ O MEDO DOS MÉDICOS BRASILEIROS ?

30/11/2013 - SAÚDE PÚBLICA / POLÍTICA


OBRIGADO DOUTOR - Julio Cesar Naranjo

Tem quem pense que Medicina é Tomógrafo ou TUBO. Medicina é acima de tudo a união do conhecimento técnico/científico, com um olhar por inteiro para o paciente, aplicando os modernos recursos, ou o conhecimento antigo da ausculta, exame físico e da "escuta", em benefício de quem está com a saúde em observação ou abalada.

No Brasil, temos ótimos profissionais, mas, a parte humana da "HISTÓRIA" vem sendo relegada a um segundo plano. Chega-se ao ponto de ter médicos que não olham para o paciente, nem lhes dão tempo de falar. Convém observar o jeito dos médicos cubanos. Convém ainda registrar o modo de pensar em relação à remuneração e ao valor que dão em poder contribuir para que a maior parte do salário que recebem, ser utilizado na saúde pública do seu país de origem. Não são escravos, como alguns afirmam. Recebem aqui em nosso país, um salário muito melhor do que em seu país.

Deixemos de lado essa questão puramente preconceituosa e classista, vamos aprender com os Cubanos o que eles tem para nos ensinar. Por certo, eles tem também o que aprender com os profissionais de saúde do Brasil. Quem ganha é a população brasileira.

Cubanos trazem uma nova forma de fazer Medicina
Médicos fazem exames e surpreendem pacientes e profissionais
CHRISTINA NASCIMENTO


Rio - É quase impossível não estranhar quando se ouve de Julio Cesar Nunez Naranjo, 46 anos, o valor que recebe por mês em Cuba. “Cerca de 30 dólares (quase R$ 70). É uma boa remuneração”, diz o médico, em um compreensível ‘portunhol’, após atender uma mãe e um bebê no Centro Municipal de Saúde de Vila do Céu, em Campo Grande. Mas a relação com o dinheiro não é a única diferença na comparação com os médicos brasileiros. 


A chegada dele à unidade já provocou mudança no comportamento de outros profissionais. E a explicação está na formação acadêmica: a medicina cubana incentiva laços mais estreitos com os pacientes. “Os médicos que vêm de fora colhem material para preventivo. Alguns não faziam isso. Mandavam sempre a enfermeira. Já ouvi muitos dizendo que agora vão fazer o procedimento”, conta uma funcionária da unidade. 


A sensação térmica em Vila do Céu era de 40 graus na quinta-feira, quando Julio recebeu O DIA no consultório. Do bolso, ele tira um lenço para enxugar o suor no rosto. Apesar do ar condicionado, o calor é quase insuportável. Uma realidade que não assusta quem tem no currículo experiências no Haiti, onde o atendimento era feito em postos sem ventilação ou qualquer iluminação.

“Ficamos quase dois meses sem o médico de família. A ajuda vinha da enfermeira, que acompanhava o peso da neném. Estava preocupada com o desenvolvimento dela”, avalia Raquel. A mãe disse não se importar com a consulta auxiliada por uma enfermeira tradutora. “Quero alguém para me atender. Não importa de onde venha”. 

Dos R$ 10 mil que o governo brasileiro vai passar para a Organização Pan-Americana de Saúde, referentes ao trabalho dos cubanos, Julio e sua família vão ficar com cerca de R$ 2,3 mil. O restante é retido por Cuba, que durante os três anos que os médicos vão ficar aqui continuará depositando o salário deles. “O que vai para lá será reinvestido na área de saúde. Não é para mim. É para todo mundo”, explica Julio, sem se mostrar incomodado.

Cidade que mais avançou 

A chegada de 70 médicos estrangeiros, sendo 65 vindos de Cuba, vai elevar o Rio ao patamar de cidade que mais avançou a curto prazo em cobertura de saúde da família. A partir de amanhã, o cadastro de controle da Secretaria Municipal de Saúde passa a registrar mais 300 mil cariocas com atendimento monitorado pelo programa. Com isso, serão, no total, 2,83 milhões de pessoas monitoradas pelos postos de saúde e Clínicas da Família. Com o reforço vindo de outros países, esse percentual vai saltar dos atuais 41% para 45%. 


Até o momento, a prefeitura não tem registro de problemas com médicos estrangeiros. Pelo contrário. A aceitação tem superado as expectativas. Acostumada a atender em localidades de extrema miséria, em países como Honduras e Bolívia, Leonor Maria Pérez, 48, acha que a profissão é uma atividade humanitária. “Todo médico deveria trabalhar em regiões carentes. A gente estuda é para isso, para ajudar as pessoas”.


NOTA DO BLOG - Fica aqui registrado, o meu agradecimento e reconhecimento, também aos médicos brasileiros, que, são atenciosos e humanos, além de responsáveis e tecnicamente preparados. 

5 comentários:

Anônimo disse...

Parabenizo este governo por ter tomado esta urgente iniciativa de trazer de Cuba principalmente,Médicos preparados a lidar com o ser humano de forma humana,não como tratam os nossos médicos,que se acham com o rei na barriga,mal educados grosseiros e sem qualquer atenção com os mais necessitados,fora que são muito mal preparados,erram muito nas suas consultas,as vezes matam e quase nada acontece pelo excesso e proteção,por isso agradeço e parabenizo este Governo por bela iniciativa Bita.

Anônimo disse...

Você já ficou na fila de um hospital público até não aguentar mais,e pedir para quem tiver te acompanhado para te levar pra casa porque preferi morrer em casa? É humilhante e desumano ver pessoas morrendo na porta dos hospitais sem serem atendidas,por esses motivos venho de público dizer a este governo que está no caminho certo,primeiro a saúde,estou falando de nossa VIDA,depois as demais coisas que todos já sabemos.Bita.

lucia Ramos Moreira disse...

" Medicina é acima de tudo a união do conhecimento técnico/científico, com um olhar por inteiro para o paciente, aplicando os modernos recursos, ou o conhecimento antigo da ausculta, exame físico e da "escuta", em benefício de quem está com a saúde em observação ou abalada."

Numa boa Sr. Bond, nunca fui contra esse programa pois os profissionais da saúde andam muito burguesinhos para pegar o jaleco e ir pro interior do Pará atender aos mais necessitados. Mas essa da "escuta" foi terrível, pois a barreira do idioma é um tremendo impeditivo para isso.

Lucia Ramos Moreira disse...

87% DOS PETISTAS APROVAM PRISÃO DOS MENSALEIROS

http://oglobo.globo.com/pais/prisao-dos-mensaleiros-aprovada-por-87-dos-que-se-dizem-petistas-mostra-datafolha-10937273

OS 13% RESTANTES DEVEM ESTAR AQUI NO BLOG.

BONDeblog S. O. disse...

Senhora Lucia

Leia a matéria, e veja que o idioma não é barreira coisa nenhuma.

Quanto a pesquisa...há controvérsias. Será mesmo que essa turma era petista ? Que tipo de pergunta terá sido formulada.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS