sexta-feira, 22 de novembro de 2013

PIZZOLATO DENUNCIA INJUSTIÇA E AÇÃO POLÍTICA - NA ITÁLIA UM NOVO JULGAMENTO PODE MUDAR MUITO DA HISTÓRIA - EM VÍDEO


UM NOVO JULGAMENTO na Itália é possível, e provas que foram ignoradas no Brasil podem inocentar Henrique Pizzolato, e dar outro rumo ao caso VISANET. No vídeo, que mostra uma reunião com integrantes do PT, Pizzolato APRESENTA ARGUMENTOS FORTES, e garante que vai continuar lutando para provar sua inocência e também que não houve desvio de dinheiro público para beneficiar o PT. Ainda que não mude a decisão da Justiça brasileira, poderemos ter uma MELHOR VISÃO DO QUE DE FATO ACONTECEU. Nesse julgamento da Ação Penal 470, certos posicionamentos e "provas", ou ausência delas, deixam um forte cheiro de julgamento político / midiático, portanto, injusto, se não totalmente, em grande parte.


O VÍDEO







Wilson Tosta - O Estado de S. Paulo

Em vídeo, Pizzolato promete comprovar inocência 'até último segundo'


A militantes do PT, ex-diretor do Banco do Brasil nega ter havido desvio de dinheiro para o partido
21 de novembro de 2013

O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do mensalão, participou de intensa campanha contra a sua condenação por envolvimento no esquema. Pelo menos algumas das manifestações de que participou foram gravadas em vídeo por amigos. Em um deles, publicado na internet nessa quarta-feira, 20, Pizzolato nega que tenha desviado recursos para financiamento de campanha ou para o PT e diz ter sido usado para comprovar o uso de dinheiro público. "Eu sou o inocente útil", declarou.

Pizzolato fala a militantes petistas, entre eles o ex-presidente do PT José Genoino, durante um ato da sigla que pedia a "anulação da AP 470" - referência à ação penal do processo do mensalão. Não é possível saber com exatidão em que momento o episódio ocorreu. No vídeo de 9 minutos, o ex-diretor relata laudos e documentos que rebateriam a tese da acusação de que houve desvio de dinheiro público para o partido.

Segundo as denúncias elaboradas pela Procuradoria-Geral da República, Pizzolato autorizou adiantamento de R$ 73 milhões à Visanet (fundo privado do qual o Banco do Brasil faz parte) para uma agência de publicidade do empresário Marcos Valério, apontado como o operador do mensalão. "Dos R$ 73 milhões da Visanet, que não era dinheiro do Banco do Brasil, não teve um centavo que foi para financiar campanha do PT. Todo esse dinheiro está auditado", afirmou o ex-diretor.

Pizzolato diz que os documentos que comprovariam a prestação de contas entre o Banco do Brasil e a Visanet foram ignorados pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) durante o julgamento do mensalão. "É claro que é uma perseguição política. O que se tentou desde o início, e por isso fui o primeiro a ser julgado, é caracterizar a questão do dinheiro público" , disse. "Eu sou o inocente útil. Fui a ponte para eles atenderem isso", completou.

O ex-diretor teve a prisão decretada no último dia 15, mas ele está foragido na Itália. Sua saída do Brasil teria começado a ser planejada pouco depois de o STF rejeitar seus primeiros recursos. Na parte final do vídeo, Pizzolato faz um apelo aos militantes: "Eu queria pedir a vocês uma coisa. Não assumam que o PT desviou dinheiro. Da parte onde eu trabalhei, não existe um centavo. Eu vou até meu último segundo de vida vou jurar, vou comprovar [que sou inocente]."

 / Colaborou Lilian Venturini

6 comentários:

José Antônio disse...

Bond,

Durante muito tempo houve um bombardeio midiático diário no qual se procurou desconstruir todo um partido e todo um projeto de governo que tirou o Brasil daquela condição abjeta que este se encontrava ao final do governo FHC.

Aos poucos, entretanto, a verdade vem surgindo à tona.

O primeiro a ter sua integridade reconhecida foi o Luis Gushiken.

Infelizmente, faleceu pouco depois. Ao menos teve a alegria de ter tido sua honestidade reconhecida ainda em vida.

A quantidade de desmandos produzidas pelo STF, ao contrário de convencer a sociedade de que estava julgando "o maior caso de corrupção do Brasil, desde 1500", teve, entretanto, o efeito contrário.

As pessoas passaram a desacreditar de todo o processo no qual a promiscuidade entre grande parte da mídia e judiciário se mostrava sem pudores. Tal comportamento, sugeria a certeza de que nada seria capaz de detê-los em sua marcha para manchar um partido e seus principais representantes.

Inversões do ônus da prova, ilações sem pé nem cabeça, omissão e ocultação de provas, tudo para dar credibilidade a uma farsa montada na cabeça de alguns.

Colunistas, mais próximos de caluniadores, disparavam suas metralhadoras automáticas contra todos que sequer duvidassem das "suas verdades".

A quantidade de pessoas que, hoje, começam, ainda de forma tímida, a tomar distância deste linchamento, mostra que talvez eles tenham ido longe demais.

A ida de Pizzollato para a Itália, levando as provas de que a VISANET sempre foi uma empresa privada e que seus contratos de publicidade serviam inclusive para o pagamento de serviços publicitários para órgãos da imprensa tais como, por exemplo, a TV Globo, pode fazer ruir o castelo de cartas do qual Joaquim Barbosa se serviu para espalhar condenações a torto e a direito.

O espetáculo de selvageria que presenciamos nesta última semana envolvendo pessoas condenadas abusivamente por crimes não cometidos pode ser o grande momento da virada.

A dor dos familiares vendo expostos à execração pública seus entes mais queridos, como se estes fossem "aqueles poderosos", e que, por isso mesmo, sempre se safavam impunes, de todas as maracutaias, Bond, pode estar em fase de reversão.

A opinião pública, não aquela que participou da enquete que D. Lucia nos trouxe, não está mais acreditando nesta grande farsa.

Ainda há muito para ser feito para que a verdade prevaleça. Mas o colunismo rottweiler está perdendo suas forças. Está se tornando ridículo e desacreditado.

Os bandidos, estamos vendo agora, são exatamente aqueles que faziam mais algazarra ao acusar os mocinhos.

Um a um estão sendo desmascarados.





BONDeblog S. O. disse...

Bom dia

José

Sempre que, ao invés de se fazer justiça, se promove um espetáculo de justiçamento, e sempre que, em lugar de se fundamentar a culpa, processar e julgar, se lincha um acusado antes de sua culpa estar comprovada, observa-se um efeito contrário ao que deveria ser o objetivo do processo.

É o caso do mensalão. Nosso sistema - JUDICIÁRIO - por razões e casos já conhecidos, não goza de credibilidade. O julgamento do mensalão era então uma oportunidade de, com equilíbrio, julgar pessoas poderosas e destacadas, punindo pelos erros/crimes praticados. Preferiram ir pelo caminho do espetáculo e dos holofotes, pelas aberrações, como já citado - INVERTERAM O ÔNUS DA PROVA - deu nisso. Hoje, não temos mais, ao menos os que olham isso tudo com isenção e com vontade de que se faça sempre JUSTIÇA, a certeza de que muitas das condenações impostas foram na medida e por motivos procedentes. É lamentável.

José Antônio disse...

Veja, Bond.

Mais um da direita que resolve se distanciar dessa lambança sem nome:

Lembo diz que há bases legais para impeachment do presidente do STF

http://www.redetv.com.br/jornalismo/portaljornalismo/Noticia.aspx?118%2C4%2C553735%2C102%2CLembo-diz-que-ha-bases-legais-para-impeachment-do-presidente-do-STF

D. Lucia que em um momento de ilusão de óptica veio nos apontar a opinião do juíz Helio Bicudo, o qual, por divergências, se afastou do PT, não foi capaz de retornar aqui, dizendo a opinião desse mesmo juíz em relação à farsa do julgamento da AP470.

A farsa está caindo, Bond.

Quem é íntegro, seja de direita, seja de esquerda, não consegue compactuar com a grande campanha midiática para condenar inocentes sem provas, ou ainda culpados de crimes menores a penas exorbitantes como se seus pecados fossem muito maiores do que foram.


José Antônio disse...

Caro Bond,

Desta vez é o Wálter Maierovitch, ex ministro de FHC que se distancia da suprema lambança midiática:

Abusos de Barbosa e fuga de Pizzolato

http://www.cartacapital.com.br/politica/abusos-de-barbosa-e-fuga-de-pizzolato-6819.html

A lista de aliados da direita que, aos poucos, não querem se ver misturados à Suprema Lambança Midiática, só faz aumentar.

.

José Antônio disse...

Processo do mensalão se tornou um circo judicial populista, diz livro

http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/2013/11/1372963-processo-do-mensalao-se-tornou-um-circo-judicial-populista-diz-livro.shtml

A reportagem da Folha sobre o livro dos juristas Luiz Flávio Gomes e Débora de Souza de Almeida, citado acima, é tão parcial que ela encontra um jeito de inserir, no meio dela, um comentário sobre outro livro, desta vez do Marco Antônio Villa pseudo historiador, figurinha fácil de todos os jornais quando se trata de atacar o governo e o PT.

lucia Ramos Moreira disse...

Pizzolato é tão inocente que fugiu da justiça. A Itália vai querer trocá-lo pelo Battisti. Ocorre que o governo Brasileiro quer O Batisti aqui e o Pizzolato lá.

A Pizza à italiana está garantida.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS