sábado, 23 de novembro de 2013

MÉDICA BRASILEIRA É QUEM ERRA AO ACUSAR COLEGA CUBANO - DISCRIMINAÇÃO SEM LIMITES

O Conselho Regional de Medicina da Bahia, deveria punir a médica que publicou na Internet uma receita / prescrição de médico cubano. apontando um erro que de fato, não existiu. Ainda que o erro tivesse existido, não podem médicos ficar postando na Internet documentos, receitas, laudos, expedidos por outros médicos, sejam eles brasileiros, cubanos ou tenham vindo de onde for.

Se a referida médica entendeu que o profissional cubano cometera um ERRO MÉDICO, deveria ter comunicado o fato ao CONSELHO, para que esse instaurasse um sindicância preliminar. Jamais poderia ter, pior que sem autorização da mãe da criança em questão que foi medicada corretamente, conforme esclarece a matéria, ter copiado e divulgado a referida receita.

Se este tipo de comportamento (exposição na internet) fosse adotado em relação aos médicos brasileiros que erram, ou aos que emitem receitas com letras ininteligíveis, deixando completamente desorientados os pacientes que saem dos consultórios, não haveria espaço nas REDES SOCIAIS. Os médicos brasileiros precisam parar de picuinha com os cubanos, e passar a lutar pelo que realmente está errado no nosso sistema de saúde, devendo começar, pela forma fria, indiferente, soberba e apressada com que tratam seus pacientes. Este tipo de comportamento inadequado não é regra, mas, acontece em número suficiente para deixar a classe 'muito mal na foto'.


Médica tenta desmoralizar colega cubano na Bahia
Prescrição correta foi parar na Internet como erro


Os médicos cubanos continuam sendo alvo de discriminação por parte de seus colegas brasileiros. Na semana passada, em Feira de Santana, interior da Bahia, um médico cubano, do Programa Mais Médicos, receitou 40 gotas diárias de dipirona para o filho de um ano da diarista Gilmara Santos. O médico explicou a ela que a dosagem não era para ser ministrada de uma só vez e sim ao longo do dia e desde que a criança sentisse dor. Diferente dos médicos brasileiros que fracionam a medicação, os cubanos adotam a prescrição da quantidade total por dia. Essa metodologia, no entanto, não confundiu Gilmara que ministrou corretamente o remédio ao filho.

Apesar do bom atendimento que seu filho teve, a diarista ao retornar ao posto para uma nova consulta foi atendida por uma médica. Gilmara explicou que estava com a receita do médico cubano e mostrou para a médica que estava lhe atendendo naquele momento. Sem permissão da diarista e aproveitando o fato da medicação ter sido prescrita de forma diferente da que os médicos brasileiros usam normalmente, a médica copiou a receita e postou na Internet como se fosse um erro de seu colega cubano.

“Acho que foi falta de ética dela”, criticou a diarista explicando que seu filho teve um excelente atendimento pelo médico cubano e ressaltou que em muitas consultas com médicos brasileiros eles sequer olham para o paciente. Gilmara afirmou que a prescrição foi explicada a ela com todos os detalhes e em nenhum momento ela deu ao filho as 40 gotas de uma só vez.

A atitude da médica ao postar a receita na Internet, criticada pela própria diarista, provocou o afastamento do médico cubano. Ela teve ainda ajuda de um vereador de Feira de Santana que, num ímpeto nacionalista, denunciou, sem razão, o médico cubano. Após os esclarecimentos sobre a forma de prescrição, o médico voltará ao trabalho na próxima segunda-feira (25/11). O caso, no entanto, representa um novo constrangimento aos profissionais cubanos.

7 comentários:

José Antônio disse...

Caro Bond,

Que médica é esta que acredita poder exercer a profissão descumprindo o juramento de Hipócrates?

Que médica é esta que, por uma questão política, acaba raciocinando com o fígado?

Que médica é esta que, em seu curso de medicina, não conseguiu aprender qual a função do fígado?

Que médica é esta que "denuncia" colegas apenas por ressentimento?

Que punição merece uma "médica" dessas?

Anônimo disse...

Essa "médica" não tem nome e nem foto e crm para que seja colocada na net

BONDeblog S. O. disse...

José

Além da punição de ver sua atitude reprovada, em especial pela mãe da criança muito bem atendida e orientada pelo médico de nacionalidade cubana, merecia uma punição/advertência do CRM da Bahia.

A primeira ela já recebeu, a segunda, duvido que receba. Lamentavelmente, duvido que receba.

BONDeblog S. O. disse...

Prezado anônimo

A matéria do JB que é a fonte por nós consultada e utilizada, não traz nomes.

Um abraço

José Antônio disse...



"Em contato com o G1, a médica pediatra Márcia Porto, que atende em clínicas da capital baiana, informou que a dose receitada é "completamente exagerada". "Essa dose é quatro vezes maior do que a indicada. Para uma criança de 10 kg, o ideal era ter receitado 10 gotas. 40 gotas é dose para adulto. Caso a criança tivesse tomado essa dose excessiva, ela podertia ter tido uma hipotermia e uma hipertensão arterial", relatou. De acordo com a médica, hipotermia é quando acontece a baixa da temperatura natural do corpo."

http://g1.globo.com/bahia/noticia/2013/11/medico-cubano-que-receitou-dose-excessiva-volta-atender-na-segunda.html

BONDeblog S. O. disse...

José

O médico receitou 40 gotas ao longo do dia, em doses fracionadas, e não de uma só vez. A mãe da criança declarou que o DR. CUBANO foi muito atencioso e explicou como e quando tomar o medicamento. A criança não teve qualquer problema em decorrência do receitado.

José Antônio disse...

Caro Bond,

Desculpe-me se dei a impressão de ter omitido o fato muito bem lembrado por você.

Ele é bem explicado no próprio link que postei.

Selecionei apenas o texto acima, pois o comentarista anônimo queria saber quem foi que fez a falsa denúncia.

Quanto ao resto, você tem toda a razão.



EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS