sexta-feira, 15 de novembro de 2013

LEIS TRABALHISTAS 70 ANOS - NO MUSEU DA REPÚBLICA EXPOSIÇÃO SOBRE A CLT QUE O NEOLIBERALISMO PRETENDE EXTINGUIR

Uma das maiores "balelas" que os defensores de políticas neoliberais e do capitalismo selvagem pregam, é a "FLEXIBILIZAÇÃO DAS LEIS TRABALHISTAS", o que em bom português significa a precarização do trabalho e a introdução de mecanismos que facilitem a semi-escravidão. TERCEIRIZAÇÃO de ATIVIDADE FIM, fim de férias de 30 dias, diluição do 13o. salário, CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA sem direitos como FGTS e Indenização, e manutenção de jornada de trabalho em 44 horas semanais, sem aceitar a proposta das 40 horas, é o que a "turma dos que quanto mais tem mais quer" defende, fazendo lobby, e sendo amparado pela MÍDIA monopolizada. 

Ao completar 70 anos, pouco precisa ou deve ser modificado na CLT. E por favor, não citem a CHINA como modelo. Lá, o trabalhador é submetido a uma jornada de até 16 horas semanais, o a cesso à previdência é precário e o salário aviltante. Não citem como exemplo ainda a ESPANHA, ou GRÉCIA, PORTUGAL, todos com índices alarmantes de desemprego.

Museu da República inaugura exposição sobre 70 anos da CLT
Alana Gandra - Agência Brasil

Rio de Janeiro - O Museu da República inaugura amanhã (15), data da Proclamação da República, a exposição Trabalho, Luta e Cidadania, que comemora os 70 anos da entrada em vigor da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e o aniversário de 53 anos do museu.

Promulgada em 1º de maio de 1943, a CLT só passou a vigorar a partir de 10 de novembro do mesmo ano, no aniversário do Estado Novo, destacou o curador da exposição, Marcus Rodrigues, historiador e pesquisador do Museu da República.

Durante a mostra, que se estenderá até maio de 2014, o público terá a oportunidade de conhecer peças do acervo do museu, como exemplares de carteiras de trabalho da década de 1940. Entre elas, uma se destaca. É a carteira de trabalho do ex-presidente Getulio Vargas. “É a carteira número um de uma série de carteiras de trabalho”, observou Rodrigues. Serão expostas, também, medalhas comemorativas e documentos de pessoas que foram importantes na história da República.

O primeiro exemplar impresso da CLT, o capacete e os óculos usados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na visita a um poço petrolífero na Bacia de Campos, em 2007, fazem parte da mostra.

“Na exposição, serão colocados vários questionamentos, para suscitar uma reflexão do visitante. Ele pode verificar quem realmente criou a legislação trabalhista. Vai ver que as lutas dos trabalhadores para obter direitos relativos ao trabalho são bem anteriores ao período Vargas. Ele vai questionar a permanência da CLT. Vamos instigar o visitante a refletir sobre essa legislação e a atualidade dela e sobre a resposta que ela está dando para as novas profissões que estão surgindo”, disse o pesquisador do Museu da República.

Edição: Marcos Chagas


MUSEU DA REPÚBLICA

Museu da Republica

R. do Catete, 153
Catete
Rio de Janeiro, RJ 

Um comentário:

lucia Ramos Moreira disse...

A CLT é fascista pois é uma cópia da CARTA DEL LAVORO de Mussolini. Foi outorgada pela ditadura Vargas e hoje impede o Brasil de crescer e o trabalhador de ter bons salários. Onera demasiadamente as empresas e valoriza o mau funcionário. Precisa sofrer uma profunda reforma pois torna o investimento em automação mais barato do que a contratação de pessoas.

O PT não tem coragem de mexer nisso.

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS