quarta-feira, 2 de outubro de 2013

MORTE DE PROFESSORA POR INALAÇÃO DE GÁS DURANTE MANIFESTAÇÃO NÃO ESTÁ CONFIRMADA

VIOLÊNCIA DA POLÍCIA É ABSOLUTAMENTE INACEITÁVEL 


Pode-se até entender que a obrigação de impedir a invasão do prédio da Câmara Municipal pelos professores, e de coibir os atos de vandalismos que alguns grupos praticaram no Centro do Rio de Janeiro no dia de ontem, seja uma tarefa árdua e que exija algum tipo de rigor com alguma dose de ações mais agressivas. No calor do confronto é praticamente impossível não ocorrer de algum policial venha a se exceder. Não se aceita, porém, o descontrole de toda a tropa, o uso maciço de BOMBAS, o espancamento de professores já devidamente dominados e até caídos, e o ABUSO criminoso das chamadas ARMAS NÃO LETAIS, empregadas como se fossem um brinquedinho inofensivo.

É uma vergonha para o governo do Estado do Rio de Janeiro, uma vergonha para o Brasil, uma afronta à Democracia, a violência empregada pela Polícia Militar contra os professores e os manifestantes que a eles se somaram para legitimamente protestar contra o Plano imposto pelo prefeito Eduardo Paes, e que os vereadores como "bons paus mandados" que são, aprovaram.

Sindicato não confirma morte de professora em protesto no Rio


Em comunicado divulgado na manhã desta quarta-feira (2) em sua página na internet, o Sindicato Estadual de Profissionais do Rio de Janeiro (Sepe) não confirma a morte de profissional que tenha participado dos protestos no entorno da Câmara de Vereadores. Desde o fim da noite de terça-feira (1), informações circulam pelas redes sociais de que uma professora teria morrido após inalar gases lançados pelo Batalhão de Choque no confronto.

Leia também:


A direção da entidade informa que foram feitas visitas a hospitais da cidade e ao Instituto Médico Legal (IML) da capital fluminense. Registro de óbtio não foi encontrado. Também foram feitos contatos com escolas municipais e estaduais de Bangu, local onde a suposta vítima lecionava. As unidades de ensino negaram a informação.
Contra a violência policial

Diante dos episódios de violência registrados mediante a aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos professores da rede municipal de ensino, a Associação Nacional de Ensino Superior (Andes) e outras entidades convocaram um ato político contra as ações das forças de segurança. O ato foi convocado para as 17h desta quarta-feira, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Portal EBC

Nenhum comentário:

EM DESTAQUE - LEIA AGORA

JOÃO DORIA E ACMN LEVAM UMA MERECIDA CHUVA DE OVOS EM SALVADOR - EM VÍDEO

OS OVOS CHOCARAM E APODRECERAM ASSIM QUE TIVERAM CONTATO COM A CABEÇA DOS DOIS PREFEITOS LEIA A MATÉRIA AQUI

AS DEZ MAIS LIDAS NO MÊS